terça-feira, 21 de agosto de 2012

Tudo pode acontecer


Por Ayne Salviano

Perguntada sobre quando vai deixar o filho, pequeno, navegar sozinho na internet, Patrícia Peck Pinheiro, advogada especialista em Direito Digital que esteve palestrando durante o 6º Seminário “O Professor e a Leitura de Jornais - Redes Sociais e Interatividade” foi enfática: “Quando ele aprender a ir para a escola sozinho”.

PREVENÇÃO
O raciocínio da especialista é simples, e lógico. É na rua que os perigos acontecem. Antes de andar sozinha pela cidade, a criança precisa ser ensinada a atravessar a rua, a não conversar com estranhos, entre outros cuidados. “A internet é a rua moderna. As crianças só podem ficar sozinhas quando aprenderem a se cuidar”, explicou.



EDUCAÇÃO
A partir deste princípio, Patrícia Peck Pinheiro insiste que é papel dos pais e dos professores estimular o uso ético, seguro e legal da tecnologia, especialmente a partir do próprio exemplo, ou seja, o adulto precisa ser ético e seguir as leis. E o primeiro princípio básico para quem não quer ter problemas é: “Não faça aos outros o que você não gostaria que fizessem a você”.

DICAS IMPORTANTES
Outros conselhos importantes da especialista: 1. Pense e depois publique; 2. Não cobice o conteúdo do próximo (plágio é crime em todas as plataformas); 3. Gere conexões positivas (e não aceite como amigo quem você não conhece); e 4. Assuma o que disse, pois o anonimato é proibido, além de ser um ato covarde.

IMPORTANTE
Cuidado com o excesso de exposição. Os professores, principalmente, precisam separar a vida pessoal da profissional. As pessoas confundem certas informações e é papel do educador cuidar da própria imagem. “Viu só a professora de biquíni no Face?”, “Viu só o professor tomando todas na festa?”. Comportamentos deste tipo já têm prejudicado carreiras.

CUIDADOS
Patrícia Peck Pinheiro ainda orienta: 1. Cuidado com o que você publica, pois se cometer algum deslize e mesmo que peça desculpas, isso não limpa 100% do conteúdo na internet. E por questões de segurança, não exponha fotos de crianças e evite comentar rotinas.


Ayne Regina Gonçalves Salviano é jornalista e professora. Mestre em Comunicação e Semiótica. Especialista em Metodologia Didática. Professora no ensino médio, graduação e pós na rede particular de Araçatuba. Coordenadora do Programa Jornal e Educação Ler para Crescer da Folha da Região. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário