terça-feira, 21 de agosto de 2012

Sistema reconhece telespectador e seleciona programas


Por Júlio Bernardes
Agência USP

Escolher o que assistir entre as dezenas de canais oferecidos pela TV por assinatura não é simples. No entanto, uma pesquisa da Escola Politécnica (Poli) da USP desenvolveu um sistema que fornece instantaneamente ao telespectador indicações dos seus programas preferidos. O programa experimentado pelo engenheiro eletrônico Aislan Foina identifica o telefone celular do telespectador por meio de ondas de rádio (bluetooth), seleciona e indica as atrações de sua preferência no horário.
Indicação é feita a partir de banco de dados com os programas vistos pelo usuário
O bluetooth é uma forma de transmissão de dados (protocolo) via rádio para curtas distâncias, consumindo baixas quantidades de energia. “Normalmente é utilizado em fones de ouvido sem fio e na transferência de arquivos entre telefones celulares”, diz Foina. “Na pesquisa, foi conectado ao televisor um aparelho com o programa, dotado de um dongle — um dispositivo que recebe os sinais do bluetooth — permitindo a identificação do usuário”. O estudo foi orientado pelo professor Javier Ramirez, da Poli.
Quando o telespectador com telefone celular se aproxima do televisor, o receptor capta os sinais do bluetooth. “Se for um novo usuário, é possível se cadastrar”, descreve o engenheiro. Um aplicativo em fase de desenvolvimento pelo pesquisador conecta o telefone móvel ao receptor e permite o telespectador se cadastrar e receber informações do sistema pelo celular. “No caso de usuários já cadastrados, o sistema consulta um banco de dados que registra informações sobre todos os programas que o telespectador assistiu naquele televisor, com suas respectivas datas, horários e gêneros”.


Por meio de algoritmos (fórmulas matemáticas), o programa analisa as informações sobre os programas assistidos, seleciona os gêneros mais vistos e fornece recomendações adequadas ao horário em que o telespectador está assistindo a televisão. “Por exemplo, caso a pessoa assista com frequência a noticiários, o sistema irá indicar três ou cinco opções no horário, dispensando-a da tarefa de ficar procurando entre dezenas de canais”. As sugestões aparecem na tela do televisor, mas o aplicativo para celular vai permitir que os usuários recebam as informações pelo telefone móvel, sem atrapalhar a visualização dos programas que estão passando na TV.
Identificação
De acordo com Foina, já existem sistemas de seleção de programas, porém eles necessitam de uma identificação prévia do telespectador para serem acionados. “É preciso chegar no televisor e digitar uma senha no controle remoto”, afirma. “No entanto, com o uso do bluetooth, a pessoa se aproxima e já é identificada, acionando automaticamente o processo de seleção”.
O programa também permite a análise das preferências de grupos. “Caso sejam identificadas duas ou mais pessoas cadastradas próximas ao televisor, as informações sobre os programas assistidos de cada telespectador são cruzadas entre si”, conta o engenheiro. “Assim, é possível apresentar opções de programas que sejam da preferência comum de cada grupo”.
Na pesquisa, o sistema foi montado em um aparelho separado do receptor de TV por assinatura e do televisor. “Isso foi feito porque não havia uma versão estável do middleware de TV interativa (programa de computador que controla as aplicações que utilizam interatividade) que seria utilizado pela TV digital no Brasil, prevista para 2007 mas que só ocorreu em 2010”, diz Foina. Foram adotados dois protocolos, o Ginga-NCL, para exibição menus e listas na tela, e o Ginga-J, que permite o uso de aplicativos. “No futuro, a ideia é adaptar o sistema para o Ginga-J. Ao mesmo tempo, quando for definido um padrão de aplicativos para Smart TV no mundo, ele será oferecido como um aplicativo para o usuário baixar e usar em seu televisor, como os aplicativos para Smartphone”.
O engenheiro conta que um sistema semelhante foi desenvolvido para fazer a seleção de conteúdo publicitário para telões de propaganda instalados em shopping centers e locais públicos de grande movimento. “Há um cadastro de consumidores, com o seu respectivo perfil de compras”, descreve. “Quando um consumidor cadastrado se aproxima e é identificado, automaticamente são selecionados e mostrados anúncios que se encaixem no perfil daquele cliente”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário