terça-feira, 22 de maio de 2012

Avaliações, sempre


Ayne Salviano
Folha da Região - 22/05/2012 (B6)

Quem trabalha com educação sabe: é preciso avaliar. Há várias formas, maneiras e conceitos, mas só uma coisa não muda: é preciso medir. Com o trabalho do Ler para Crescer não é diferente.

INSTITUCIONAL
Somos sistematicamente avaliados, pela ANJ (Associação Nacional de Jornais), pela Folha da Região, pelas empresas-parceiras, mas especialmente pelos educadores e estudantes que participam do projeto. Há até quem não conheça o trabalho e teime em falar dele. Mas isso é outra história.



RUIM?
Ao contrário do que alguns possam pensar, as avaliações (documentadas) não são traumáticas, mas motivadoras. De posse delas, sabemos o que esperam de nós. Daí é só planejar e implementar, embora esta última ação quase nunca dependa exclusivamente da equipe do Ler. Há uma série de valores e interesses corporativos interligados. Mas, sim, as avaliações são luzes nesta caminhada.

RIQUEZA
Periodicamente faço uma leitura completa de todas as avaliações que tenho em mãos. Seria no mínimo “muito bom” reproduzir aqui todos os elogios que recebemos, mas não vou ocupar este espaço precioso com a autopromoção. Melhor justificar o que ainda não pudemos fazer.

HORÁRIO
Nosso maior problema hoje é atender todas as solicitações para capacitação de professores das mais de 70 escolas-parceiras, de Araçatuba e região. Para elas, seria muito bom que eu pudesse auxiliá-las no horário de estudo coletivo dos professores. Tenho conseguido fazer isso apenas com escolas cujos HTPCs coincidem com meu horário de trabalho na Folha. Os demais pedidos não estão se concretizando (embora haja um calendário anual de cursos promovidos na sede do jornal). Mas aumentar o número de capacitadores é, sim, nosso projeto a médio e longo prazos.

JORNAIS
Outra solicitação das escolas é aumentar o número de exemplares de jornais que a Folha entrega para o trabalho com os alunos. Hoje, todas as escolas-parceiras recebem um jornal diariamente para que os professores estejam bem informados e possam planejar suas aulas. Depois da sala dos professores, o exemplar deve seguir para as bibliotecas ou salas de leitura e ficar a disposição dos alunos.

NA SALA DE AULA
Semanalmente, a Folha envia um pacote com 20 exemplares de jornal para serem trabalhados em sala de aula. Algumas escolas querem receber mais exemplares porque têm muitas turmas que querem trabalhar com o projeto. Nossa solução é buscar mais empresas socialmente responsáveis que ajudem a patrocinar o trabalho. Elas seriam as “madrinhas” destas assinaturas para as escolas. Temos profissionais buscando estes contatos, mas se alguém souber de um empresário disposto a investir em educação é só nos avisar.

CONCURSOS
Há, também, quem peça mais concursos. Temos dois em andamento: “A entrevista dos meus sonhos”, promovido por uma entidade internacional em parceria com a ANJ e o Ler para Crescer, e outro destinado a professores, da Microsoft, ambos noticiados nesta página em edições anteriores.

SÓ DE TEXTOS
Imagino, então, que o desejo do avaliador que colocou esta sugestão é de concursos de textos, como o antigo Folha da Região na Sala de Aula (1994-2010) lançava periodicamente. Sim, temos alguns planejados para este ano aguardando liberação de recursos para a compra da premiação. Queremos prêmios significativos, que motivem os participantes a escreverem sobre a importância de leitura para a cidadania. Então, aguardem.

Ayne Regina Gonçalves Salviano é jornalista e professora. Mestre em Comunicação e Semiótica. Especialista em Metodologia Didática. Professora no ensino médio, graduação e pós na rede particular de Araçatuba. Coordenadora do Programa Jornal e Educação Ler para Crescer da Folha da Região.

Nenhum comentário:

Postar um comentário