segunda-feira, 2 de abril de 2012

"Uniformizadas desejam ter revanche" revela a polícia

Notícias ruins podem se tornar apelos para mudanças de comportamento, nas escolas e na sociedade. Que tal usar o caso dos torcedores para abordar a questão dos grupos/gangues que cometem bullying e outros tipos de violência? Vamos discutir tudo isso em uma roda de conversa depois de lermos as notícias, que tal?

Folha da Região - 28/03/2012 (A7)


A Polícia Civil já sabe: integrantes das torcidas organizadas Mancha Alviverde e Gaviões da Fiel tentam marcar novo confronto para vingar a morte de dois palmeirenses. André Alves Lezo, 21 anos, morreu domingo à noite. Guilherme Vinícius Jovanelli Moreira, 19, teve morte encefálica na madrugada de ontem.
As informações foram detectadas pelo setor de inteligência da Polícia Civil em mensagens trocadas em redes sociais da internet. "Há denúncias de mais confrontos e retaliação pela morte desses torcedores", afirmou Margarette Barreto, titular da Drecradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância), que investiga a briga entre palmeirenses e corintianos.


REVIDE
O confronto ocorrido domingo, por volta das 10h, na avenida Inajar de Souza (zona norte), já seria resposta da Gaviões a outro crime. O clássico Corinthians x Palmeiras só começaria às 16h, no Pacaembu, a 10 km da briga.
Ontem, a Polícia Civil começou a agir na busca por culpados da confusão que envolveu ao menos 300 pessoas. Com mandados de prisão, busca e apreensão, foi às sedes da Mancha e da Gaviões e às residências de suspeitos. Seis torcedores foram detidos, todos ligados à organizada palmeirense.
Os nomes não foram divulgados, mas um deles é Tiago Alves Lezo, irmão gêmeo de André. Tiago já havia sido detido domingo, após denúncia por porte de arma. Como na ocasião nada foi encontrado, passou por um exame residuográfico e foi liberado. Com prisão temporária de 30 dias decretada, os detidos serão investigados e interrogados. Na tarde de ontemeles foram transferidos para o 77 º DP, no bairro de Santa Cecília.
Na sede da Gaviões, R$ 150 mil foram encontrados. Em todos os locais, a polícia apreendeu computadores e ainda mensagens postadas em redes sociais. De acordo com Margarette e o delegado Jorge Carlos Carrasco, do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), outros mandados serão cumpridos nos próximos dias.

NO RIO DE JANEIRO
"Indivíduos fugiram do Estado de São Paulo, mas até já sabemos o paradeiro deles. Alguns foram para o Rio", diz Carrasco. "A gente segue nas investigações, até para também poder prender integrantes da outra facção (a Gaviões da Fiel)", garantiu a delegada.
O monitoramento das informações na internet indica: a motivação do confronto foi um crime cometido em 2011. Segundo Carrasco e Margarette, o assassinato do corintiano Douglas Karin Silva, 27 anos, encontrado no rio Tietê em 29 de agosto, teria causado a "revanche". O crime do ano passado ainda não foi esclarecido.
Margarette afirmou que integrantes da Gaviões fizeram emboscada para os palmeirenses. A polícia investiga a informação de que barracão foi alugado nas proximidades da avenida para abrigar armas usadas na briga. Já é sabido, porém, que grande número de rojões foi comprado na última sexta-feira por integrantes da maior torcida uniformizada corintiana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário