quinta-feira, 5 de abril de 2012

Realengo dá a volta por cima

É mais comum do que gostaríamos as tragédias que assolam escolas no Brasil e no mundo. Ao mesmo tempo, é importante valorizar os esforços de superação de um grupo e/ou de uma instituição. Neste aspecto, é bom contar a história da escola de Realengo, no Rio. E aproveitar para discutir sobre segurança na escola. Que tal?

Um ano depois da tragédia, quando o desempregado Wellington Menezes de Oliveira invadiu a Escola Municipal Tasso da Silveira e atirou em 20 meninas e 4 meninos, matando a metade, no Realengo, na zona oeste do Rio de Janeiro, a escola virou um modelo de instituição.
O prédio foi reformado e teve um anexo erguido. As salas receberam recursos multimídia e professores foram passaram por cursos de reciclagem. Eles foram orientados a serem mais flexíveis e menos rigorosos com os estudantes.
Um programa de televisão deu notebooks para os 400 alunos que presenciaram o ataque, e personalidades fizeram palestras sobre superação para as crianças.

Leia mais em: Folha da Região - 02/04/2012 (A5)

Nenhum comentário:

Postar um comentário