quinta-feira, 5 de abril de 2012

Bicho-barbeiro reaparece em Araçatuba

Com certa periodicidade este assunto volta a ser noticiado nos veículos de comunicação de Araçatuba, em especial na Folha da Região. O problema com o bicho-barbeiro é de saúde pública, mas pode (e deve) ser discutido nas escolas. Que tal programar sua aula de Ciências ou Biologia a partir deste fato e, além de tratar da doença de Chagas também abordar a questão da poda (ou não) das centenárias palmeiras-imperiais da avenida João de Arruda Brasil? Vamos lá!


Reapareceu em alguns imóveis da avenida João de Arruda Brasil o bicho-barbeiro, transmissor da doença de Chagas. Alguns moradores e comerciantes viram o inseto nas residências e nos pontos comerciais. Exemplares da espécie foram entregues às autoridades competentes.
O surgimento do bicho-barbeiro está relacionado com as palmeiras-imperiais daquele local. Para evitar que os insetos criem colônias dentro das casas e estabelecimentos, recomenda-se que se coloque mosquiteiros ou telas metálicas nas aberturas ou frestas dos imóveis.
O CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) orienta que quem encontrar o bicho-barbeiro deve proteger a mão com um saco plástico sem furos, capturar o inseto, inverter o plástico ao retirá-lo da mão e depois encaminhá-lo para o serviço de saúde mais próximo para que sejam feitas as análises necessárias.

Leia a reportagem completa do jornalista Sérgio Teixeira publicada na Folha da Região - 04/04/2012 (B3)

Nenhum comentário:

Postar um comentário