quarta-feira, 21 de março de 2012

MEC anuncia avaliação da alfabetização



Folha da Região - 20/03/2012 (B7)



O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, anunciou ontem a criação de uma prova nacional para medir o grau de alfabetização de crianças de 7 e de 8 anos. O exame, que será aplicado para todos os estudantes a partir do ano que vem, será uma ampliação da Provinha Brasil, que avalia o estágio de alfabetização e de conhecimentos básicos de matemática de estudantes do 2º ano do ensino fundamental.
"A Provinha Brasil é amostral. Nós faremos um exame nacional para ver a qualidade do letramento", disse Mercadante, que participou de um debate promovido pelo Lide, Grupo de Líderes Empresariais, na zona sul de São Paulo. No evento, o ministro disse que a garantia de alfabetização na idade correta, até 8 anos, é a grande prioridade da sua gestão. "O exame será para todas as crianças. Tem custo? Tem. Mas é muito menor que o da ignorância", disse.


BOLSA
Mercadante quer usar o desempenho dos estudantes no exame de alfabetização no Escola Sem Fronteiras, programa que vai oferecer bolsas de estudo em colégios privados de referência, como o Pedro II, do Rio, para professores cujos alunos de destacaram na avaliação. O outro indicador para selecionar professores do Escola Sem Fronteiras será o desempenho no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). O ministro disse que professores com desempenho excepcional podem ganhar bolsas de estudo no exterior.
"Já recebemos uma proposta da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e estamos discutindo com secretários de Educação, porque isso tem de ser feito em parceria. Quem administra a rede são Estados e municípios", disse Mercadante.

FIES
A Uniesp terá que devolver os valores cobrados a mais de alunos custeados pelo Fies (financiamento estudantil), se ficar provado que houve fraude no uso dos recursos.
O anúncio de Mercadante, vem após denúncia feita pela Folha de S.Paulo no sábado, que mostrou como o grupo de faculdades cobra mensalidades até três vezes mais caras de alunos do Fies e usa parte desses recursos para pagar dízimo a igrejas que indicam alunos à instituição. "Não haverá nenhuma tolerância a qualquer indício de fraude em relação ao Fies", disse o ministro.
O MEC também estuda descredenciar todas as faculdades da Uniesp do Fies, em medida cautelar, porque há indícios de que a instituição usou cursos cadastrados no Fies a fim de conseguir financiamento para alunos de curso que não estavam habilitados no programa.
Mercadante disse ainda que o MEC vai oferecer todas as informações que tem sobre os indício de fraude à CGU (Controladoria Geral da União), à Polícia Federal e ao Ministério Público.

Nenhum comentário:

Postar um comentário