segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

O que os educadores brasileiros querem saber de Sugata Mitra


No próximo dia 7 de fevereiro de 2012, o Brasil receberá um dos educadores mais comentados na web e mais respeitados por estudiosos de educação e tecnologia de todo o mundo, o indiano Sugata Mitra, professor da Universidade de Newcastle no Reino Unido. Ele propõe um modelo de  educação que estimula a intuição e o interesse direto das crianças em aprender umas com as outras. Mitra realizou o experimento que gerou o famoso vídeo "O Buraco no Muro". Refletindo sobre o papel da tecnologia no aprendizado e as habilidades do professor no novo cenário da cultura digital, cinco educadores participantes do Educaparty enviaram perguntas que  pretendem fazer para o professor Sugata Mitra durante o evento:



Sugata Mitra

Físico por formação e pesquisador de redes neurais, é uma das personalidades mais originais no campo da educação tecnológica. Desde 1999, desenvolve o projeto Hole in the Wall (HIW - sigla em Inglês) que tem como objetivo demonstrar os dons inatos de crianças no desenvolvimento de competências em TIC. A iniciativa consiste em instalar computadores nas ruas do interior Índia e de outros países em desenvolvimento e permitir o acesso livre para menores de idade. Professor da Universidade de Newcastle, na Inglaterra, Sugata Mitra diz que as crianças envolvidas no experimento não só aprenderam a usar computadores de uma forma intuitiva, mas melhoraram significativamente seu desempenho acadêmico.

Questões dos educadores brasileiros

 "Como pode ser possível, com poucos recursos para ensino e pesquisa, aliar as tecnologias à educação básica considerando o contexto de um país em desenvolvimento como o Brasil?"
Willian Rochadel - Pesquisador do Remote Experimentation Lab (RexLab) da UFSC

"É muito interessante no vídeo "O Buraco no Muro" como o computador é colocado numa rua onde as crianças conseguem acessá-lo sem monitoramento e elas mesmas ensinam umas às outras. Neste momento, percebe-se que aí a aprendizagem não é uniformizada ou ditada por regras. Com isto em mente, como nós, professores, podemos nos desvencilhar da ideia de orientar e controlar todo o processo de aprendizagem já que ficamos tão apreensivos, querendo avaliar e medir sempre? Como podemos dar esta liberdade a nossos alunos para quem aprendam sozinhos?"
Grace de Castro Gonçalves - Professora da Escola Estadual Vereador Antonio de Ré, Guarulhos - SP  

"Sobre a alfabetização dos alunos, a tecnologia pode ser de fundamental ajuda neste processo, principalmente agora que o uso de laptops educacionais no Brasil é cada vez maior? O que pensar disso em comparação com a experiência do "Buraco no Muro?"
Amábile Maria Reginato Dos Santos, Diretora da EMEF Pedagogo Paulo Freire, Ourinhos - SP

"Na experiência do vídeo "Um Buraco no Muro", é possível ver que as crianças aprendem sozinhas e ensinam umas às outras. Considerando isto, gostaria de perguntar ao professor Sugata Mitra como seria um aula com tecnologia para ele, o professor realmente é necessário nessa aula ou as crianças podem ser deixadas para aprenderem sozinhas? Se o papel do professor muda, como deve ser agora?"
Eliana dos Santos D'Avila Oliveira, professora de informática da UME Mário de Almeida Alcantara, São Vicente - SP

"A tecnologia aplicada à educação pode ajudar a equilibrar os direitos civis na Índia e em outros países, onde por exemplo, as mulheres têm “menos direitos ou estão abaixo dos homens?"
Wagner Merije Rodrigues Araújo, Gestor do MV Mob, portal de educação e mobilidade, Belo Horizonte - MG

Fonte: EducaRede/ EducaParty ( http://www.educared.org/global/educarnaculturadigital/perguntas-sugata)

Nenhum comentário:

Postar um comentário