sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Escola leva prêmio ao doar árvore a cada bebê nascido


Alunos e professores do Colégio Estadual Tiradentes, de Umuarama, Região Noroeste, criaram em 2008 um projeto de Educação ambiental que distribui uma muda de árvore para cada bebê nascido na cidade. São em média cem mudas por mês entregues nas três maternidades do município.

O envolvimento da comunidade e a singularidade da iniciativa fizeram com que o “Árvore da Vida” ganhasse na semana passada o primeiro lugar do Prêmio Fani Lerner, recebendo uma premiação de R$ 5 mil.

A ideia surgiu quando a professora Inês Augusto decidiu criar um projeto para trabalhar a conscientização ambiental com os alunos. As aulas de Geografia passaram a ser diferentes quando ela levou os meninos e meninas para conhecer as ruas da cidade e ver que tipo de árvore se adaptava mais ao clima de Umuarama.


Inês conseguiu doações para construir uma estufa na escola e produzir as mudas. Pais e professores doam embalagens de leite longa vida para fazer recipientes apropriados, evitando assim a morte das plantas.

Nas aulas ao ar livre os estudantes têm lições sobre o plantio correto de árvores e aprendem a ter uma atitude sustentável. O trabalho é realizado em rede.

Além da atuação da professora de Geografia Inês Augusto, participam da iniciativa profissionais do Instituto Ambiental do Paraná – que dão palestras sobre a arborização da cidade –, professores de Artes – que ajudam as crianças a adornar e enfeitar as embalagens – e de Língua Portuguesa, responsáveis pela elaboração de textos e poesias sobre a temática.

A cada 15 dias uma equipe do colégio leva as mudas para as assistentes sociais das maternidades. Quando deixam o local, as mães e bebês recebem o presente. “As crianças ajudam a conscientizar os pais, que mostram preocupação com as gerações futuras ao participar do plantio”, diz Inês.

Promessa cumprida
Outra iniciativa de sucesso revelada pela premiação é um trabalho de conscientização política desenvolvido na Escola Rural Municipal João Assunção, em Campina Grande do Sul.

O projeto começou em 2010, fruto de uma parceria com a Câmara de Vereadores do município. Os estudantes do 5.º ano simularam uma eleição, com convenção partidária para seleção dos candidatos, criação de um programa de governo e até nome e número de partidos políticos.

O Tribunal Regional Elei­toral emprestou cabines de votação e urnas e todo o colégio participou. Os pequenos enfrentaram até fila para participar da eleição, realizada num sábado. Cada escola do município elegeu um vereador-mirim, mas na João Assunção a participação foi maciça e teve um resultado prático: recurso para a construção de uma cancha coberta.

Esta havia sido a principal “promessa” de campanha de uma estudante do 5.º ano de 2010. Eleita, ela foi à Câmara de Vereadores, discursou na tribuna para os colegas adultos e conseguiu destinar o recurso para a escola.

Em Campina Grande do Sul, outra escola do município resolveu incentivar a leitura de revistas e jornais entre os alunos. O projeto “Pequenos Cidadãos Grandes Leitores” trouxe notícias para dentro das salas de aula da Escola Maria José Eurípides Gonçalves. Os textos eram trabalhados por todas as matérias de forma interdisciplinar.

As crianças também passaram a produzir uma publicação própria, a Revista do Conhecimento. Para a professora Márcia Kaminski, os maiores benefícios foram a melhoria da convivência e sociabilidade, além da criação do hábito de leitura.

Homenagem
Objetivo é dar visibilidade aos “pequenos”

O Prêmio Fani Lerner está na segunda edição e em 2011 recebeu o dobro de inscrições em relação ao ano anterior. É uma iniciativa do Instituto Jaime Lerner para homenagear o trabalho da ex-primeira-dama do estado. Fani Lerner morreu em maio de 2009, aos 63 anos, vítima de um câncer, contra o qual lutava desde 1995.

Durante os cargos públicos ocupados pelo marido, Fani Lerner esteve à frente das políticas sociais e desenvolveu um trabalho em prol de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.

Entre 1989 e 1995 esteve à frente da Secretaria Municipal da Criança de Curitiba. Fani foi a primeira latino-americana a ganhar o Prêmio Kellogg’s para o Desenvolvimento da Criança e também foi reconhecida pelo Prêmio Criança e Paz, concedido pelo Unicef.

O objetivo dos organizadores em 2011 era dar visibilidade a projetos de pequenas escolas e organizações não governamentais do interior do estado. Ilana Lerner, filha de Fani, diz que as instituições de maior porte geralmente têm mais acesso a financiamento. “Minha mãe ficaria feliz em ver esse trabalho. As crianças precisam sempre ser lembradas.”

A Comissão Julgadora foi composta pela secretária de Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa; a Superintendente da Secretaria de Educação do Paraná, Meroujy Cavet; Ana Amélia Filizola, vice-presidente do GRPCom; a psicóloga Ester Proveller; e a vice-presidente da Academia Paranaense de Letras, Chlóris Justen.

Os eleitos
Confira os 15 vencedores do Prêmio Fani Lerner. A premiação variou de R$ 250 a R$ 5 milm, dependendo da colocação das entidades.

Fonte: http://www.todospelaeducacao.org.br/comunicacao-e-midia/educacao-na-midia/20658/escola-leva-premio-ao-doar-arvore-a-cada-bebe-nascido/

Nenhum comentário:

Postar um comentário