sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Professoras ensinam com dados reais


Alunos durante leitura de notícias


Para quem ainda acredita que jornal é usado apenas para o estudo de Línguas, duas experiências comprovam que ele é um instrumento interdisciplinar

A professora do Colégio Estadual Eurico Batista Rosas (Carambeí), Marisete do Rocio Kopis, utilizou o jornal para mostrar aos dos alunos do 8º Ano / Ensino Fundamental a relação entre fatos reais e os conteúdos da disciplina de Matemática, mostrando que ela está presente no dia-a-dia de todos. A educadora deu mais destaque para a porcentagem e aplicação de juros e descontos. “Observei que os alunos tiveram maior interesse pelo conteúdo da disciplina no momento em que puderam verificar que para o que aprendem em sala de aula existe uma aplicação real e prática, principalmente porque juro e porcentagem em específico, está presente na vida deles, seja no supermercado que eles frequentam ou na loja que fazem compras”, esclarece Marisete.


Para realizar o trabalho a professora utilizou a edição do Jornal da Manhã do dia 23 de setembro, onde solicitou que os estudantes identificassem propagandas com preços dos produtos. Na sequência, eles fizeram uma montagem da situação -problema, resolução e análise da propaganda.

O que chamou a atenção de Marisete é que ao avaliar um anúncio sobre vinhos, os estudantes fizeram duas críticas: a falta de alerta que é proibida a venda de bebida alcoolica para menores de 18 anos, e a data incorreta do anúncio, pois era referente à uma promoção que havia acabado fazia duas semanas. “O trabalho foi de grande valia, principalmente porque através do jornal eles puderam fazer a ponte sala de aula e mundo real”, avalia positivamente a educadora.

Análise de dados, gráficos e tabelas no jornal permite
o estudo da Matemática
Já a professora Luciane dos Reis aproveitou os jornais de agosto para falar sobre mercado de trabalho. “Por que há desemprego, se há vaga?”, questionou aos estudantes do 7º Ano B e C / Ensino Fundamental.

A conclusão do aluno Chrysthian Anael, é que “há emprego sobrando porque a grande massa desempregada não possui qualificação, como ensino médio, superior, curso técnico, língua estrangeira, requisitos exigidos na maioria das vagas que demoram para serem preenchidas”, acredita.

Durante os meses de agosto e setembro deste ano as turmas acompanharam no JM os anúncios de oferta de vagas, priorizando as que exigiam mais qualificação. “O objetivo deste trabalho foi mostrar a importância da capacitação profissional, relacionando este assunto com o conteúdo pedagógico curricular da disciplina Matemática”, explica Luciane.

Depois de coletar os dados, os estudantes construíram e fizeram interpretação de tabelas e gráficos, observando a vaga e o tempo de oferta, e colocaram suas conclusões em textos dissertativos. “A partir do jornal eles conseguiram perceber de forma concreta a necessidade de se tratar a educação com seriedade, percebendo, através dos gráficos, que os mais qualificados têm a opção da escolha”, conclui a educadora.

Imagens: Colégio Estadual Eurico Batista Rosas/Carambeí
Fonte: http://jmnews.com.br/noticias/vamos%20ler/21,13461,14,10,professoras-ensinam-com-dados-reais.shtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário