terça-feira, 27 de setembro de 2011

Sesi 281 usa jornal em aula para melhorar nota do Saresp


As professoras Silvia, Mariana, Rosa e
Priscila, da escola Sesi-281

 Da Redação

Com o objetivo de melhorar o rendimento na prova do Saresp (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo), o Centro Educacional Sesi-281 de Araçatuba está desenvolvendo um projeto especial de leitura de jornais somado às aulas de informática com os alunos do 4º e 6º ano e da 6ª série, um grupo de aproximadamente 140 alunos.
A ideia é fazer com que os estudantes leiam, interpretem e se expressem sobre os mais variados assuntos.

Para poder opinar sobre eles, a leitura de jornais auxilia trazendo informações atuais - o chamado ‘conhecimento vivo’ - e as aulas de informática colaboram com o uso da internet como fonte de pesquisa.
No Sesi-281 todas as turmas usam o jornal como ferramenta didático-pedagógica. A escola é parceira do Ler para Crescer da Folha da Região. A unidade escolar recebe gratuitamente um exemplar diário para a biblioteca e 20 jornais semanais para trabalhos em sala de aula.


PROVA
O Saresp está marcado para novembro. Participarão todas as escolas da rede pública estadual que oferecem ensino regular. Farão a prova todos os alunos do 3º, 5º, 7º e 9º anos do ensino fundamental e da 3ª série do ensino médio.

Segundo a Secretaria do Estado, “em cada edição, por meio de aplicação de provas cognitivas e questionários respondidos pelos pais, alunos, professores e gestores do ensino, o Saresp avalia o sistema de ensino paulista para monitorar as políticas públicas de educação”. Esta será a 14ª edição da prova.

Para a professora de Língua Portuguesa e idealizadora do projeto no Sesi-281, Rosa Maria Sanchez Diaz, é preciso incentivar e ensinar os jovens a utilizarem ferramentas que agreguem na sua formação. "Nesse projeto, nós trabalhamos em cima do erro. Se o aluno não sabe como escrever uma palavra, por exemplo, vamos ao dicionário, pesquisamos e ele reescreve, ele pensa e aprende", conta.

NOSSA VEZ
Além da professora Rosa Maria, outras educadoras trabalham com jornais em sala de aula especificamente com alunos de 4º e 6º ano e 6º série. São elas: Luciana Cristina Zanetti e Ângela Maria da Silva Leão, em parceria com a analista de suporte em informática Mariana Espicalquis Maschio, todas coordenadas por Silvia de Souza Nunes e Priscila Santos Rêgo Fontão Guimarães, administradora escolar.

 Estudantes usam a informática para melhorar desempenho
As educadoras usam o suplemento infantojuvenil Nossa Vez!, encartado na Folha todas as quartas-feiras. Os alunos fazem a leitura do jornal, discutem o que acharam das matérias e aprendem sobre algumas técnicas necessárias para se escrever em jornal.

"No começo foi difícil, pois tivemos que usar um vocabulário mais adequado. Agora que lemos o jornal toda semana, ficou mais fácil", afirma a aluna Thais Mayumi Idoi, de 11 anos, da 6ª série.
A partir da análise do Nossa Vez!, os estudantes elaboram textos opinativos, resenhas de filmes e livros, pesquisam sobre vários assuntos e também se inspiram para responder a enquete de cada semana.

SENSO CRÍTICO
Depois de se informarem nas páginas do suplemento, os estudantes do Sesi-281 colocam suas ideias em cartas que enviam para a redação. A carta, aliás, é um dos gêneros textuais exigidos na prova do Saresp.

"Os alunos escrevem para o jornal durante as aulas de informática. A professora de português corrige todo esse material e eles redigem novamente corrigindo os erros. Depois, encaminham por e-mail para o jornal. Eles sabem que para uma opinião ser publicada, o texto não deve conter erros", diz a coordenadora Silvia Nunes.

"O uso do jornal nas aulas contribui para a formação social do aluno. Ele se torna mais crítico e essa é uma maneira de torná-los cidadãos ativos, que têm voz na sociedade", destaca a professora Rosa Maria.
Ela também valoriza as oportunidades de trabalhar a estrutura de palavras, o vocabulário e os vários tipos de concordância para que o aluno possa desenvolver melhor seus textos dia após dia.

CONECTADOS
Nas aulas de informática, os estudantes do Sesi-281 aprendem sobre enquadramento de páginas, formatação, fontes, espaçamentos, estética e digitação. "Eles querem e pedem para que as cartas sejam digitadas. Eles gostam do ambiente e de praticar. Esse projeto é a grande prova de que a experiência deu mais do que certo", afirma a analista de suporte Mariana Espicalquis.

Alunos estão motivados com trabalhos feitos a partir
do suplemento Nossa Vez!
Ela também comenta que toda quarta-feira, dia em que o suplemento infantojuvenil Nossa Vez! circula, o ânimo dos alunos melhora. "Muitos já tiveram suas opiniões publicadas no jornal. E isso é algo que incentiva a turma. Todos querem participar e estão muito motivados para trabalhar com jornais em sala”, afirma.

A estudante da 7º série Gabriela Silva do Nascimento, 13 anos, já teve quatro textos publicados no Nossa Vez!. "Gosto de ler e escrever poesias sobre meio ambiente. Gosto de ler jornal para me atualizar. Aqui na escola os professores cobram que estejamos por dentro do que está acontecendo na cidade, no Brasil e no mundo", diz.

RESULTADOS
Segundo a professora Rosa Maria, os trabalhos desenvolvidos a partir da leitura de jornais nas salas de aula ajudam a devolver o prazer de aprender e estudar. “Esse é o grande benefício que o ensino multidisciplinar proporciona para crianças e jovens”, enfatiza. Mas, para chegar neste estágio, ela ensina que é preciso que o professor incentive os alunos.

"Procuramos valorizar os projetos que tenham ênfase na ampliação do repertório dos alunos e no comprometimento com sua formação cultural, visando a construção da cidadania e a transformação social", destaca a coordenadora Silvia Nunes, que está muito satisfeita com os resultados alcançados até agora pelo projeto de leitura com os jornais.

2 comentários:

  1. Qual o gênero textual que enfocará o Saresp 2011?

    Obrigada

    ResponderExcluir
  2. eu estudo ai estou no quarto ano,tenho 9 anos!!!!

    ResponderExcluir