sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Pré-escola de qualidade tem impacto positivo no aprendizado no Ensino Fundamental

Por Carolina Vilaverde - Todos Pela Educação

O ensino pré-escolar, oferecido às crianças de 4 a 6 anos, tem impacto positivo no aprendizado no Ensino Fundamental, afirma o consultor da Fundação Cesgranrio e membro da Comissão Técnica do Todos Pela Educação, Ruben Klein. “A Educação Infantil pode ter uma influência muito grande. Se tivermos uma boa Pré-escola, podemos desenvolver muita coisa. Por isso, precisamos pensar nesse grande esforço de estimular as crianças para que elas entrem na Pré-escola e cheguem ao Fundamental com um nível adequado. Quanto melhor for a Pré-escola, mais preparado o aluno entra no 1º ano para ser alfabetizado”, disse na última semana, durante a divulgação dos resultados da Prova ABC (Avaliação Brasileira do Final do Ciclo de Alfabetização).

“Como a Educação é um processo acumulativo, a etapa seguinte depende da anterior. Se conseguirmos dar um foco maior à Educação Infantil, teremos, por consequência, um resultado muito melhor lá na frente”, concordou Priscila Cruz, diretora-executiva do Todos Pela Educação. “O direito à Educação é o mesmo para todas as crianças do País. Garantir o direito de aprender logo nos anos iniciais é uma plataforma importante para  assegurar este direito em  todas as séries seguintes”, complementa.
Para isso, é fundamental que a Pré-escola tenha qualidade e não seja “apenas um local para deixar as crianças”, diz Klein. “Se a família não tem condições de dar os estímulos necessários, a escola teria que, de alguma maneira, fazer um pouco desse papel”.

Desigualdade educacional
A Prova ABC é uma avaliação inédita desenvolvida pelo Todos Pela Educação e por parceiros, e foi aplicada em 250 escolas das capitais do País no início deste ano. Os resultados mostram que 56,1% dos estudantes aprenderam o que era esperado em leitura, e 42,8% em matemática.


A avaliação apresentou também grande variação nos resultados entre as regiões do País e entre as redes de ensino pública e privada. Em matemática, por exemplo, entre o melhor e o pior desempenho das regiões há uma diferença de 33 pontos - a região Sul tem a melhor média, com 185,6 pontos, e a média mais baixa fica com a região Norte, com 152,6 pontos.

Para Priscila, é preciso pensar na Pré-escola como uma forma de diminuir a desigualdade educacional, já que umaboa Educação Infantil nivela as diferenças logo de partida.  “Uma das funções da Educação é ser uma política compensatória e fazer com que todos tenham oportunidades. Nós precisamos enfrentar o desafio de diminuir as desigualdades educacionais, que já começam nos anos inicias do Fundamental. Se não conseguirmos corrigir essas distorções no início, dificilmente vamos conseguir mais pra frente“, opina.
Fonte: http://programajornaleeducacao.blogspot.com/2011/09/pre-escola-de-qualidade-tem-impacto.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário