segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Literatura perde a escritora Lúcia Milani Piantino


Professora Lúcia Piantino
Por Talita Rustichelli

A literatura araçatubense perdeu na manhã de ontem uma de suas personagens. A escritora e professora Lúcia Maria Milani Piantino faleceu em sua casa, aos 67 anos, após uma série de problemas de saúde.

O viúvo, José Márcio Piantino, afirma que ela passou bem o dia anterior e não se queixou de nenhum tipo de dor. "Às 5h conversei com ela, estava normal. Por volta das 7h acordei, fui chamá-la para saber o que ela queria de café da manhã, e ela já havia falecido", diz. Foi constatada morte natural pela equipe médica que atendeu a família, que não solicitou autópsia.

Ele conta que a professora estava debilitada devido a fraturas nos ossos, acamada desde o início do ano. "Em fevereiro, ela quebrou o fêmur. Na semana passada, ela tentou ficar um pouco de pé, com o andador, acabou trincando a tíbia e o tornozelo", conta. Lúcia ainda tinha problemas de diabetes e hipertensão.
Ela estava aposentada, mas antes dos problemas de saúde continuava em atividade, ministrando aulas particulares. Ela tinha um filho de 32 anos.



LIVROS
Com quatro livros publicados, Lúcia foi uma das fundadoras da AAL (Academia Araçatubense de Letras), em 1992. Nascida em Campo Grande (MS), vivia em Araçatuba desde 1963, onde trabalhava como docente das línguas portuguesa e inglesa, como revisora de textos e colaboradora do jornal Folha da Região.

Membro da Academia Araçatubense de Letras e professor, o secretário municipal de Cultura, Hélio Consolaro, lecionou com Lúcia na mesma escola de 1978 a 1995. Ele conta que, além das ideias literárias trocadas, se desenvolveu uma grande amizade. "Eu sabia que ela estava doente, mas a notícia de sua morte me surpreendeu", complementa.

Marly Garcia Souto, também acadêmica e amiga, afirma que a cidade perdeu uma grande conhecedora da língua portuguesa e que sente muito a perda da amiga. "Ela foi professora dos meus filhos no colégio, e ministrava aulas na Retomada Espaço Cultural, que eu mantinha. Fiquei muito triste com a notícia da morte dela", afirma.

PROJETO
No jornal, ela ainda coordenou, de 1994 a 2010 o projeto "Folha da Região na Sala de Aula", hoje "Ler para Crescer", que tem como objetivo o estímulo à leitura e a capacitação de professores. Ana Cristina Lemos Senche Castilho, uma das diretoras do jornal, lamenta a perda. "Ela colaborou muito com o jornal, sobretudo com este projeto, ajudando a desenvolver a educação no município; era muito estimada pelos professores. Foi uma grande perda", diz.

A jornalista Ayne Salviano, que assumiu o projeto após a saída da professora (por motivos de saúde), afirma que o nome de Lúcia sempre estará vinculado a ele. "Os professores que participaram outras vezes sempre se lembram dela e comentam. Ela tocou o projeto durante 16 anos sozinha", observa.

SEPULTAMENTO
O corpo da professora Lúcia Piantino foi velado na funerária Cardassi e sepultado no cemitério Recanto de Paz, em Araçatuba, na tarde de ontem.

Um comentário:

  1. SANDRA DE TRES LAGOAS19 de novembro de 2011 23:26

    É COM GRANDE PESAR Q DEPAREI-ME COM ESTA NOTÍCIA DA MORTE DE LUCIA.SUA MÃE ERA MINHA MADRINHA,SOU DE CAMPO GRANDE TBM,FUI MORAR COM ELES EM ARAÇATUBA LOGO QUE ELES SE MUDARAM PRA LA.A LUCIA ERA COMO MINHA IRMA MAIS VELHA NA EPOCA EU TINHA 7 ANOSFIQUEI UM ANO LA, DEPOIS DEVIDO A SAUDADE DE MEUS PAIS EU VOLTEI PRA CASA,SÓ VOLTAMOS A NOS VER QDO EU JA ESTAVA CASADA E COM 3 FILHOS,ELA TB ESTAVA CASADA E COM 1 FILHO.DEPOIS POR CIRCUNSTANCIAS DA VIDA NÃO NOS VIMOS MAIS.MAS MESMO ASSIM ESSA NOTICIA ME DEIXOU MUITO TRISTE DE SABER Q NÃO NOS VEREMOS MAIS.FICOU SÓ AS LEMBRANÇAS DA MINHA INFÂNCIA E MUITAS SAUDADES.QUE DEUS ABÊNÇOE SUA ENLUTADA FAMÍLIA.

    ResponderExcluir