terça-feira, 13 de setembro de 2011

Futebol e álcool, uma relação perigosa


Por Jovens com Qualidade de Vida


De Mané Garrincha aos britânicos George Best ou Paul Gascoigne, passando por outros craques famosos no mundo inteiro, o álcool fez inúmeras vítimas no futebol, a última delas o ídolo corintiano Sócrates, de 57 anos, que permanece internado em São Paulo.

Sócrates, capitão do Corinthians e da seleção brasileira na década de oitenta, sofreu na terça-feira uma hemorragia digestiva pela segunda vez em três semanas.

Médico de profissão, o ex-craque revelou recentemente que tinha um ponto cirrótico localizado em uma área hipersensível do fígado, lesão causada pelo consumo de álcool.

Em todas as épocas, grandes nomes do futebol internacional tiveram problemas com o alcoolismo.

Bicampeão Mundial com a seleção brasileira em 1958 e 1962, Garrincha morreu em 1983 de cirrose.
Já o norte-irlandês George Best, ídolo do Manchester Unided nos anos 60, considerado o 'quinto Beatles' pela sua atitude de pop-star irreverente, morreu em 2005 por causa de problemas renais e pulmonares, após ter recebido um transplante do fígado em 2002.

O inglês Paul Gascoigne, de 44 anos, destaque da seleção inglesa no início dos anos 90, continua envolvido em inúmeras confusões e problemas com a justiça por causa do seu vício em álcool e drogas, que nunca superou, apesar de ter seguido diversos tratamentos.

A última grande estrela do futebol brasileiro a se envolver com polêmicas por causa do álcool foi o 'Imperador' Adriano, ex-ídolo rubro-negro que ainda não estreou pelo Corinthians, que o contratou em março deste ano após uma passagem fracassada pela Roma, na Itália.

Antes dele, Vladiram, artilheiro da Copa do Brasil em 2006, na qual fez sete gols pelo Vasco, foi dispensado do clube carioca por problemas disciplinares, principalmente ligados ao consumo de álcool e drogas.

No futebol paulista, um dos exemplos mais emblemáticos foi o atacante André Neles, que ganhou o apelido de 'André Balada' em referência a sua conturbada vida noturna e que confessou recentemente ser viciado em drogas e álcool quando jogava pelo Palmeiras.

Já na Argentina, o último caso marcante foi o Ariel 'Burrito' Ortega, de 37 anos, que admitiu seu vício publicamente em 2010 e foi dispensado do River Plate, clube do qual era uma grande ídolo.

O próprio Diego Maradona, mais conhecido com seus problemas com drogas, também foi tratado pelo vício em álcool em 2007. De Mané Garrincha aos britânicos George Best ou Paul Gascoigne, passando por outros craques famosos no mundo inteiro, o álcool fez inúmeras vítimas no futebol, a última delas o ídolo corintiano Sócrates, de 57 anos, que permanece internado em São Paulo.


Sócrates, capitão do Corinthians e da seleção brasileira na década de oitenta, sofreu na terça-feira uma hemorragia digestiva pela segunda vez em três semanas.

Médico de profissão, o ex-craque revelou recentemente que tinha um ponto cirrótico localizado em uma área hipersensível do fígado, lesão causada pelo consumo de álcool.

Em todas as épocas, grandes nomes do futebol internacional tiveram problemas com o alcoolismo.

Bicampeão Mundial com a seleção brasileira em 1958 e 1962, Garrincha morreu em 1983 de cirrose.

Já o norte-irlandês George Best, ídolo do Manchester Unided nos anos 60, considerado o 'quinto Beatles' pela sua atitude de pop-star irreverente, morreu em 2005 por causa de problemas renais e pulmonares, após ter recebido um transplante do fígado em 2002.

O inglês Paul Gascoigne, de 44 anos, destaque da seleção inglesa no início dos anos 90, continua envolvido em inúmeras confusões e problemas com a justiça por causa do seu vício em álcool e drogas, que nunca superou, apesar de ter seguido diversos tratamentos.

A última grande estrela do futebol brasileiro a se envolver com polêmicas por causa do álcool foi o 'Imperador' Adriano, ex-ídolo rubro-negro que ainda não estreou pelo Corinthians, que o contratou em março deste ano após uma passagem fracassada pela Roma, na Itália.

Antes dele, Vladiram, artilheiro da Copa do Brasil em 2006, na qual fez sete gols pelo Vasco, foi dispensado do clube carioca por problemas disciplinares, principalmente ligados ao consumo de álcool e drogas.

No futebol paulista, um dos exemplos mais emblemáticos foi o atacante André Neles, que ganhou o apelido de 'André Balada' em referência a sua conturbada vida noturna e que confessou recentemente ser viciado em drogas e álcool quando jogava pelo Palmeiras.

Já na Argentina, o último caso marcante foi o Ariel 'Burrito' Ortega, de 37 anos, que admitiu seu vício publicamente em 2010 e foi dispensado do River Plate, clube do qual era uma grande ídolo.

O próprio Diego Maradona, mais conhecido com seus problemas com drogas, também foi tratado pelo vício em álcool em 2007.


Nenhum comentário:

Postar um comentário