sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Educação, jornalismo e tecnologia: aliança que desenvolve cidadania



Por Mariana Jansen

Entre 17 e 19 de agosto aconteceu, em Salvador, o Encontro Anual de Coordenadores de Programa Jornal na Educação da Associação Nacional de Jornais (ANJ), que promoveu debates sobre o potencial das ferramentas tecnológicas nas iniciativas educacionais desenvolvidas pelos jornais associados. Priscila Gonsales, do Educarede, esteve presente em um deles e falou sobre os projetos Grupo de Estudos e Minha Terra.

A ANJ fomenta o diálogo entre os veículos de comunicação e as escolas brasileiras, por meio do projeto Jornal e Educação desde 2005. Hoje, o programa está presente em todo o país, somando 63 iniciativas implementadas por empresas de comunicação que atuam em 6.800 escolas participantes. Um exemplo de programa bem sucedido é o Ler e Pensar, de fomento a leitura e cidadania, realizado pelo jornal Gazeta do Povo, que  foi vencedor do prêmio Jovens Leitores, promovido pela Associação Mundial de Jornais e editores de Notícias (WAN).
Nos meses de junho e julho, um grupo de jornalistas do projeto da ANJ participou do curso Educarede “Blog como Recurso Pedagógico”. Apesar de não serem professores, esses ‘educomunicadores’, como são chamados, são atores fundamentais de um movimento que busca usar o conteúdo jornalístico como ferramenta de aprendizado na sala de aula.

Jornalismo Educativo

Contribuir na formação de cidadãos críticos e conscientes de sua realidade é o objetivo do projeto Jornal e Educação. A iniciativa busca chamar a atenção de professores  para a importância de  considerarem as notícias da atualidade no processo de ensino e de aprendizagem, além de incentivar a produção de textos jornalísticos pelos alunos.  Cristiane Parente, coordenadora do Projeto Jornal e Educação, explica  que o projeto trabalha o conceito de educomunicação. “A educomunicação propõe uma relação igualitária entre quem produz e quem recebe conteúdo e uma postura reflexiva diante das mensagens que recebemos através dos meios de comunicação”.

Como ressalta Cristiane, os profissionais envolvidos no projeto da ANJ começam a enfrentar o desafio de incorporar em suas atividades os recursos das tecnologias digitais, tão presente no cotidiano dos estudantes. Por isso, participaram com entusiasmo do curso online no Educarede. “O blog é uma ferramenta extremamente importante para democratizar informações, para estimular a autoria dos alunos e para incentivar atividades colaborativas”, explica Cristiane. “É importante que o jornalista se insira na realidade da internet para que tenha o entendimento de que não é o único produtor de conteúdo informativo. Por ser a web interativa, o jornalismo vem sendo feito de forma mais participativa.” explica a tutora do curso, Marli Fiorentin.

Tecnologia a favor da informação

Durante o curso ministrado pelo Educarede, os jornalistas aprenderam a apostar nos blogs  como plataforma que pode agregar valor às suas ações. Durante as aulas, um dos participantes montou o blog ‘leitura.compipoca’, destinado às pessoas que gostam de compartilhar informações sobre literatura e cinema. Já o ‘Escrever, pra quê?’, também criado no curso,dialoga com quem gosta de escrever e quer trocar figurinhas com outros aspirantes a escritor.

Marli acredita que a digitalização dos meios informativos e consequentemente, o uso de instrumentos tecnológicos em sala de aula é vantajoso para a aprendizagem. “Com as ferramentas digitais interativas, os alunos podem ser sujeitos ativos, construtores do próprio conhecimento, aprendendo de forma colaborativa, em rede, mudando o paradigma da transmissão, centralizada apenas no professor”, explica a educadora.
Outro projeto que une educação, jornalismo e tecnologia é o 'Primeras Noticias', projeto realizado pelo Educarede da Espanha, que disponibiliza em seu site, material informativo de leitura online, oferecendo não só textos, mas também conteúdo interativo, como imagens e vídeos, aproveitando os recursos da web.



Nenhum comentário:

Postar um comentário