quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Educação e Sustentabilidade




A Década da Educação para o Desenvolvimento Sustentável (2005-2014) foi decretada pela UNESCO como forma de estimular as pessoas a mudarem suas atitudes e comportamentos com relação ao meio ambiente e a utilização dos recursos naturais.




“Em [...] sua essência uma ideia simples com implicações complexas, pois, após vivermos durante séculos sem nos preocupar com o esgotamento dos recursos naturais do planeta, temos que aprender, agora, a viver de forma sustentável.[...] A escala e a diversidade de seus recursos naturais fazem do Brasil um país de importância-chave em termos da preservação ambiental e do desenvolvimento sustentável.”
Para isso, a Década enfatiza o papel central da educação na construção de um mundo mais sustentável e igualitário. Apesar do merecido destaque, poucas foram as iniciativas criadas no âmbito educacional com o objetivo de introduzir de forma consistente e sistemática o tema da sustentabilidade dentro das escolas e do currículo da educação básica brasileiros.

O conceito de sustentabilidade conjuga, ao mesmo tempo, aspectos ambientais, sociais, econômicos, éticos, étnicos, políticos, comportamentais, entre outros, suas inter-relações e desdobramentos na busca por um mundo melhor. Talvez seja por isso que poucos conseguem resumir ou explicar o que é sustentabilidade e como alcançá-la. Em seu livro Education for sustainability (2001), John Huckle já afirmava que
“Como liberdade, justiça e democracia, sustentabilidade não possui um significado comum a todos.”
Mas afinal, como fazer com que este tema faça parte da realidade escolar?
No final de 2009, movidos por essas e outras questões, reunimos dentro do Colégio Bandeirantes, em São Paulo (SP), uma equipe multidisciplinar de professores dispostos a encarar o desafio de trazer a sustentabilidade para o dia a dia da escola. Nasceu aí o projeto “Educação para a Sustentabilidade”, com o objetivo de criar, por meio de diferentes ações, uma cultura da sustentabilidade que envolva toda a comunidade e que seja capaz de se prolongar no tempo e no espaço.
Em 2010, um grupo de alunos do 1o ano do Ensino Médio ajudou a elaborar, aplicar e analisar um questionário com 40 perguntas (abertas e fechadas), o qual foi aplicado a 113 alunos do Ensino Fundamental II. Queríamos ouvir nossos alunos de 6º a 9º anos para entender o que eles sabem sobre sustentabilidade, quais suas atitudes e comportamentos com relação a ela. Alguns dos resultados dessa pesquisa estão disponíveis no artigo Educação para a Sustentabilidade, de Edson Grandisoli.
A partir da análise dessa pesquisa, os alunos participantes do projeto estão elaborando e implementando propostas concretas de melhorias para a escola. Como protagonistas, eles têm que pesquisar, levantar orçamentos, pensar em alternativas, criar campanhas de comunicação e sensibilização e, principalmente, aprender a ter paciência, pois as mudanças pretendidas não ocorrem de um dia para o outro.
Paralelas às ações, os alunos têm a oportunidade de aprender mais sobre toda a complexidade do tema por meio de leituras, discussões, visitas e palestras com especialistas de diferentes áreas.
Acreditamos que o educador e a escola têm que garantir o protagonismo dos estudantes, criando espaços para que o acertar e errar sejam apenas uma parte de sua experiência, guiando-os no desenvolvimento de uma postura crítica por meio da reavaliação das informações disponíveis, bem como de seus próprios valores e comportamentos.
Desta forma, eles se sentirão peça fundamental em um quebra-cabeça que só terá solução quando cada um desempenhar de forma responsável seu papel.
Diversas escolas em países como a Escócia, o Reino Unido e Estados Unidos têm experimentado novas fórmulas e novos formatos de ensino pautados na complexidade trazida pela sustentabilidade, a qual reflete diretamente as relações em um mundo real e globalizado. É isso que costumamos chamar de “preparar o aluno para a vida”.
“Preparar para a vida” significa possibilitar que ele crie uma visão individual e ao mesmo tempo coletiva de mundo, para que possa agir de maneira a respeitar e transformar a sociedade com sua participação.
Referências
1.    UNESCO, 2005-2014 – Década da Educação para o Desenvolvimento Sustentável
2.    HUCKLE, J. & STERLING, S. Education for Sustainability. London: Earthscan Publications Limited, 2001.
3.    GRANDISOLI, E. (2011) Educação para a sustentabilidade, ENVOLVERDE
Imagens: Reprodução/Google

Fonte: Portal Aprendiz ou 
http://www.educacionista.org.br/jornal/index.php?option=com_content&task=view&id=10599&Itemid=43

Nenhum comentário:

Postar um comentário