segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Tenor autista lança CD em Birigui


Por Talita Rustichelli
O tenor e pianista Saulo Laucas, de 27 anos, autista e deficiente visual, conseguiu superar as dificuldades por meio da música. No último sábado (27), às 15h, ele apresentou o recital "Meu mundo" no palco do auditório do Centro de Promoção Humana Ave Cristo, em Birigui, gratuitamente. A ocasião destacou os 20 anos de fundação da instituição. Na ocasião, o tenor ainda lançará seu primeiro CD, que leva o mesmo nome do recital vendido a R$ 20,00.

Laucas, que mora no Rio de Janeiro, realiza sua segunda apresentação na Ave Cristo neste ano (a primeira foi em julho). Em entrevista concedida por telefone, afirmou que fazem parte do repertório composições de Mozart, Chopin e de Francisco Mignoni, que ele executará ao piano.

Entre as cantadas, estão "Evocação" (de Villa-Lobos), "Quem sabe" (de Carlos Gomes), "Em algum lugar" (de Cláudio Santoro), e as árias de ópera "Un'aura amorosa" (de Mozart) e "Aria de Pylades" (de Gluck). A barroca "Il mio bel foco", de Francesco Bartolomeu Conti, e a popular "Força estranha", de Caetano Veloso, também serão apresentadas.
SUPERAÇÃO
Os primeiros contatos com a música, de acordo com Laucas, foram por volta dos cinco anos de idade, quando começou a fazer aulas de piano, como terapia ocupacional. "A música me fez melhorar em relação ao autismo. Antes eu entendia pouco as coisas, agora me comunico melhor e compreendo melhor, além de poder cantar. Gosto muito de música e interpreto com a alma", diz.

O tenor conta que participa como ouvinte do curso de música da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e integra ainda o coro da Cia. Bachiana, regido pelo maestro Ricardo Rocha. A música clássica é o carro-chefe de sua preferência, e ele cita como principais influências Heitor Villa-Lobos, Carlos Gomes, Robert Alexander Schumann e Franz Peter Schubert.

CELEBRAÇÃO
A apresentação faz parte da celebração antecipada de 20 anos de existência do Ave Cristo, que serão completados dia 29. A fundação atende a adolescentes e adultos do sexo masculino com problemas de dependência química. "A trajetória do Saulo é uma motivação para qualquer pessoa. Mostra que, apesar do autismo, ele conseguiu superar as dificuldades", afirma Fábio Ramos, um dos diretores da instituição.

AUTISMO
O autismo é uma disfunção que afeta a capacidade motora, de comunicação e de relacionamento do ser humano. Ainda não há cura para o transtorno, mas pesquisas recentes trabalham em cima da reprodução de neurônios a partir de células da pele de crianças com autismo, para a criação de um medicamento, mas ainda sem previsão de conclusão. Porém, tratamentos como a musicoterapia podem amenizar as características da síndrome, como no caso de Saulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário