sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Professores, agendem-se!

LITERATURA / TEATRO
OFICINA DE CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS: CONTE E ENCANTE
Coordenação: Magali Viana.
13/09 a 11/10 – terças e quintas-feiras – 13h30 às 17h30.
Público: professores, educadores e bibliotecários.
Inscrições: 8 a 22/8.
Seleção: ordem de inscrição (primeiros inscritos).
20 vagas.

Exercícios e técnicas de leitura e interpretação para capacitar os participantes a contar histórias de maneira confiante e divertida, utilizando efeitos sonoros, bonecos, bexigas e outros objetos.
Magali Viana é dirigente de coral infantil e atua desde 1998 como contadora de histórias em eventos culturais, bibliotecas e hospitais.



ÁREA/LINGUAGEM: Artes Cênicas/Arte-educação.
NOME: Workshop “Conte e Encante”
INTRODUÇÃO:
Aulas teóricas e práticas sempre buscando o “feedback” do aluno, que conhecerá as diversas formas de contar histórias através de materiais acessíveis e práticos. Conhecendo a história e regras básicas para contá-las de maneira clara e emocionante o aluno terá capacidade de viajar na sua imaginação.
Faremos uma explanação por onde tudo começou: histórias, contos e fábulas, explicando e exemplificando cada uma delas usando as diversas formas de contar histórias, através de livros escritos, livros somente ilustrados, histórias com páginas soltas, fantoches, dedoches, luvas, com a ajuda das crianças, em capítulos, com lenços, talheres, efeitos sonoros, bolhas, bonecos, bexigas, desenhos flanelógrafos e as diversas formas de contar histórias com fantoches. Mostrando também, quais as falhas que podemos não cometer ao trabalhar com fantoches, quais roupas usar para uma exímia apresentação, incluindo técnicas de manipulação do mesmo.
O intuito de tal workshop é dar conhecimentos básicos para os alunos poderem contar histórias para diversas faixas etárias, de maneira simples, mas deixando uma mensagem altruísta ao termino de cada história.

OBJETIVO:
Capacitar os alunos a contar histórias de maneira divertida, confiante e prazerosa, fazendo algo bem feito e com resultados desejados.       Despertar o desejo de transformar idéias através de histórias com valores morais, deixando em cada público uma sementinha de esperança.
Explicar que a arte de contar histórias vai além de um simples desejo, e sim, é algo que tem que ter paixão, não é apenas ler uma historinha, e sim vivenciá-la a cada apresentação, dando vida aos personagens e a história, mostrar que independe de artifícios para ser uma boa história, depende da imaginação e da capacidade de exteriorizá-la ao público.
O intuito do projeto é passar ao aluno, uma base sólida necessária para se contar uma boa história, de bons autores e de qualidade. Incentivar a capacidade de pensar e exteriorizar esses talentos, porém de forma clara.
Auxiliar o aluno na programação de datas festivas escolares, dando subsídios para os mesmos contarem histórias relacionadas a festividade (dia das mães, páscoa, dia da árvore, etc.) e também direcioná-los para a implementação de “cantinho dos livros, cantinho da história e da contação” nas salas de aula.

JUSTIFICATIVA:
Somente contar histórias não é o suficiente para se ter bom êxito, existem técnicas utilizadas para prender a atenção do público, não tornando a mesma enfadonha, variando idade, local e público. É importante ressaltar essa necessidade de um estudo aprimorado das maneiras corretas para se alcançar o objetivo final. Pode-se dizer que uma história bem contada vale mais do que um conselho, e que se a história tocou profundamente o indivíduo, no momento que passar por uma situação semelhante, ao relembrar a história, terá base para tomar a decisão correta, pois será bem mais fácil relembrar de uma história do que de meros conselhos, e ao ser lembrada a história, sempre lembramos de que a contou e teremos uma gratidão indescritível.
Com o imediatismo do dia a dia, as pessoas perderam a vontade de criar, de “viajar na imaginação, até mesmo de pensar, pois a internet tomou conta de suas mentes e de seus costumes”. Fomos invadidos por uma série de blogs, orkutes da vida, ou até salas de bate papos que utilizam a “imaginação” de maneira degradante e mentirosa, e inventam histórias que prejudicam aos outros e a si mesmo e também não existe mais contadores de histórias, pois existem televisão, TV a cabo, com filminhos vinte quatro horas por dia, dvd e outras coisas mais.
Mas é necessário mostrar às pessoas que existe uma forma de ler que é agradável, e que a boa leitura nos leva a lugares jamais habitados antes e que podemos compartilhar com outras pessoas aquilo que gostamos através da história contada com entusiasmo e dedicação. Mas para isso é necessário despertar nelas o gosto pela leitura e pela arte de transportá-la para o imaginário e depois levá-la ao conhecimento do público de uma maneira “mágica de contar as histórias” e é preciso então, dar-lhe “instrumentos” para que possa expor seus pensamentos da maneira correta e transparente, fazendo desses artifícios prejudiciais ditos acima não um inimigo, mas sim um aliado.

DESENVOLVIMENTO E CRONOGRAMA:
As aulas serão expositivas, usando recurso de Power point e vídeos, abordando temas teóricos e práticos. Os alunos conhecerão as diversas formas de contar histórias. Através de explicações e leituras, elaborando as histórias, os alunos terão contato com os livros, dedoches, fantoches, bexigas, flanelógrafos com o fim de não apenas ouvir, mas manipulá-los e sentir que todos podem fazê-lo, não existe público específico, existe sim, dedicação e paixão, enfim, com os tipos de técnicas de se contar histórias. Não apenas acompanharão a apresentação, como também manipularão, para que possam aprender a trabalhar com vários artifícios que possam ser utilizados numa história.
Para cada estilo de história focado e explicado pelo professor, além da leitura, o aluno será levado a produzir de maneira prática, uma maneira de contá-la, tendo como modelo o que foi lido. Assim o aluno ampliará seu conhecimento sobre as técnicas que poderá utilizar e praticará o que aprendeu. Ao final do curso o aluno terá conhecido algumas das técnicas essenciais para se contar uma boa história e ser ouvido com a atenção merecida.


CARGA HORÁRIA:
            Carga horária da atividade: 32 horas.
            Duração do projeto: 08 dias (durante a semana) com aula de 4 horas
Horários: Manhã: das 08h00min as 12h00min. ou
     Tarde: das 14h00min as 18h00min.

PÚBLICO-ALVO:
Professores, educadores, bibliotecários.

FORMA DE SELEÇÃO:
Primeiros inscritos. Máximo de 20 alunos.


RECURSOS E MATERIAIS:
O curso será ministrado em uma sala de aula. Serão necessárias carteiras pra alunos e professor.  O aluno irá necessitar de caneta pra fazer suas anotações.

AVALIAÇÃO:
Para cada tema abordado haverá uma avaliação de conteúdo e de participação do aluno, ou seja, conhecimento teórico e prático. O conteúdo será avaliado através da elaboração de histórias contadas pelos alunos, já a participação através do aproveitamento em sala de aula.


SINOPSE DO PROJETO:
Contar histórias não é apenas ler para uma platéia ou contá-la de maneira mecânica, mas sim é transformar um livro em algo fascinante, mágico e levar o público alvo a viajar na imaginação juntamente com você, prendendo-lhe a atenção e o coração, de maneira simples mas contundente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário