segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Festara passa a ser nacional

 Talita Rustichelli

Durante dez dias Araçatuba receberá companhias teatrais de diversas partes do País. Agora o Festara (Festival de Teatro de Araçatuba), que teve sua grade de espetáculos definida ontem, é nacional.

Companhias de diferentes estados se inscreveram para participar do evento, que acontece de 14 a 23 de outubro, em Araçatuba.

Entre os 90 inscritos, ao todo foram selecionados 26 espetáculos, sendo 8 adultos, 4 infantis ou formas de animação, 7 de rua, 4 de Araçatuba (categoria fomento) e 3 intervenções urbanas, além de duas peças de companhias convidadas.


Do estado de São Paulo, além dos de Araçatuba, há espetáculos de Jundiaí, Presidente Prudente, Bauru, São Paulo, Santo André e Ribeirão Preto. Grupos de João Pessoa (PB), Goiânia (GO), Rio de Janeiro (RJ) e Joinville (SC) também integram a programação.

Segundo o diretor de cultura e coordenador do festival, Alexandre Melinsky, os critérios para a seleção levaram em consideração a proposta de encenação, as qualidades técnica e artística, o currículo do espetáculo e a pesquisa de gênero. "Além disso, procuramos ainda diversificar os tipos de linguagem dentro da programação. Há espetáculos que trabalham máscaras, outros que trabalham literatura, outros com características da cultura popular, por exemplo", acrescenta.

Os espetáculos foram avaliados por uma comissão formada por Toninho do Valle, diretor, curador e professor de teatro de São Paulo, Graziela Nunes, representante do Polo Avançado do Sesc em Araçatuba, e Alexandre Melinsky, representante da Secretaria Municipal de Cultura e do curso de artes cênicas do Senac.

CONVIDADOS
Além das companhias que se inscreveram, há dois grupos que foram convidados pela coordenação do festival para apresentarem seus espetáculos: o Grupo de Artes Cênicas da UEL (Universidade Estadual de Londrina), com "Um Santo às Avessas", e a Cia. Teatral Controvérsias, de Pindamonhangaba, com "Folia do Homem Diabo".

NOVIDADE
Além da inserção da categoria "Fomento", que privilegia produções teatrais da cidade, o Festara 2011 traz outra inovação: durante três dias, o espetáculo "O cordel do amor sem fim", da Trupe Sinhá Zózima (SP), será apresentado dentro de um ônibus circular em movimento.
"Nós determinaremos um ponto da cidade, de onde o veículo sairá, circulando por um trajeto enquanto a peça é apresentada, voltando ao mesmo lugar com o final da apresentação", explica Melinsky.

Toda a programação será gratuita e os ingressos poderão ser trocados por alimentos não perecíveis ou leite.
"Este ano faremos um trabalho social junto às entidades assistenciais da cidade. Ainda estamos estudando quais as necessidades das instituições, para depois definirmos o que o público poderá trocar pelos ingressos", afirma.

DIVULGAÇÃO
De acordo com Melinsky, a grade com a programação completa com os dias, horários, espetáculos e locais de apresentações está sendo preparada e organizada. "Até o final da primeira quinzena de agosto já teremos tudo definido", garante.

O Festara é realizado pela Prefeitura Municipal de Araçatuba através da Secretaria de Cultura, com apoio do Sesc e do Senac, e tem ainda parcerias com a Poiesis - Organização Social de Cultura, Abaçaí - Cultura e Arte e Secretaria de Estado da Cultura.

Maioria dos grupos participa do Festara pela primeira vez
Dos 28 grupos selecionados, apenas três participaram de outras edições do Festara: a Cia. Bocaccione, de Ribeirão Preto, que participou nos anos de 2009 e 2010, a Cia. do Miolo, de São Paulo, que esteve no ano passado, e a Cia. da Casa Amarela, de Catanduva, em 2010.

Entre os inéditos em destaque, segundo o diretor de cultura e coordenador geral do Festara, Alexandre Melinsky, está a Cia. Dedo de Prosa (São Paulo), com "As Três Mulheres Sabidas".

"São três atrizes, identificando em cena a mulher como uma heroína. O espetáculo é inspirado em três contos da tradição oral britânica", afirma.
Outro espetáculo de destaque que está pela primeira vez no Festara é "Ruas de Barros", com o Grupo Chão de Teatro (São Paulo).

De acordo com Melinsky, a montagem foi feita em cima de textos do poeta cuiabano Manoel de Barros. "É um espetáculo poético de rua", explica.

O coordenador afirma estar satisfeito com a seleção realizada. "São espetáculos variados e de muita qualidade. Muitos foram premiados em diversos festivais pelo País e é ótimo que eles tenham manifestado interesse em participar do Festara", conclui.

MOSTRA
O Festival não tem caráter competitivo. De acordo com o diretor, os objetivos são discutir linguagens, provocar reflexão no público, proporcionar intercâmbio de informações entre os grupos participantes e debater a produção teatral.
Haverá ainda cursos, oficinas e workshops, cujas inscrições poderão ser feitas no Senac duas semanas antes do início do Festara.

Nenhum comentário:

Postar um comentário