quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Assoreamento prejudica geração de energia


Por Ségio Teixeira

O processo de assoreamento no reservatório da usina hidrelétrica de Três Irmãos, localizada entre os municípios de Andradina e Pereira Barreto, na região de Araçatuba, causou redução média mensal na geração de energia em 377 MWh (megawatt-hora), entre 1993 e 2008. Essa perda energética poderia suprir o atendimento mensal das cidades de Nova Castilho e Bento de Abreu juntas, ou 1.508 residências.

O problema foi apontado pelo engenheiro eletricista Renato Billia de Miranda, da EESC/USP (Escola de Engenharia de São Carlos, da Universidade de São Paulo), que fez um estudo sobre o caso. Ele usou dados da Cesp (Companhia Energética de São Paulo), empresa que opera a Usina Três Irmãos, e da EESC, para estabelecer a taxa de assoreamento.


Na comparação dos dados, houve uma redução de aproximadamente 14,5% no volume do reservatório entre 1975 e 2008. Com esse resultado foi possível estabelecer a taxa de assoreamento registrado entre 1975 (quando foi elaborado o projeto básico da usina) a 2008, além de estimar as condições do reservatório para o período de 1993 (ano do início da operação da primeira turbina) a 2008.

"No primeiro cenário, foi considerado que o reservatório não foi assoreado no período (simulação). Observamos uma energia média mensal gerada de 198.797 MWh. Já no segundo cenário, consideramos o assoreamento do reservatório no mesmo período e verificamos uma energia média mensal gerada de 198.420 MWh. É uma diferença de 377 MWh", revela o pesquisador.

INTENSIFICAÇÃO
Miranda explica que o assoreamento é um processo natural, mas a ação do homem intensifica esse processo. "Atividades ligadas a agricultura e pecuária na região de entorno do reservatório são as principais causas dessa intensificação", destaca.

O assoreamento é a última etapa do processo de sedimentação que atinge o solo, arrastando sedimentos, como terra e areia, para o leito dos rios. Desta forma, areia, terra e outros sedimentos acabam indo para os reservatórios, interferindo na capacidade de geração de energia, ao reduzir a capacidade de armazenamento de água.

Segundo o pesquisador, o correto seria a existência de áreas de proteção ambiental no entorno dos reservatórios, pois a presença de matas ciliares funcionaria como uma barreira natural, impedindo que os sedimentos chegassem até o curso d'água.

Outro ponto destacado por Miranda é a falta de conscientização sobre a importância de se manter em equilíbrio os níveis de água dos reservatórios diante do aumento da demanda de energia elétrica. "As concessionárias (de energia) afirmam que distribuem mudas de árvores para os produtores realizarem o plantio no entorno do reservatório. Mas, muitas vezes, os produtores são resistentes a essa ideia", explica.

Para realizar a pesquisa, Miranda utilizou dados da Cesp referentes ao volume do reservatório. Ele também usou um levantamento batimétrico feito pelo Núcleo de Hidrometria da EESC em 2008, que consiste na medição da profundidade e vazão da água de reservatórios e rios.

O trabalho do pesquisador foi tema de seu mestrado "A influência do assoreamento na geração de energia hidrelétrica: estudo de caso na Usina de Três Irmãos - SP", apresentado este ano na EESC.


Em nota da divisão de comunicação, Cesp garante que a produção não foi afetada
A Cesp (Companhia Energética de São Paulo) garante que a geração de energia elétrica na Usina Três Irmãos não está prejudicada por conta do assoreamento no reservatório.

"Não há uma relação física direta entre o assoreamento do reservatório da Usina Hidrelétrica Três Irmãos e a redução mensal na geração de energia elétrica", afirma, em nota produzida pela divisão de comunicação da companhia.

Segundo a Cesp, o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) é o responsável por fazer o despacho das usinas hidrelétricas, buscando a "otimização energética e o melhor uso da água". "Podemos ter uma geração maior em determinado período e menor em outro", explica Cesp, desconsiderando o fator assoreamento neste contexto.

A Cesp diz também que a redução na geração de energia de 377 MWh, citada pelo pesquisador da USP, representaria aproximadamente 0,2% da produção média mensal de energia da usina.

PRESERVAÇÃO
A empresa de energia garante que já realizou o plantio de 3.050 hectares de matas ciliares em áreas de sua propriedade, além de repassar recursos da ordem de R$ 2,1 milhões para a conservação das microbacias hidrográficas inseridas na área de influência da Usina Três Irmãos.

Outra ação da Cesp foi a formalização voluntária de 187 contratos de fomento florestal em parceria com proprietários rurais na região do reservatório.
O acordo já possibilitou o plantio de 1.054.161 mudas, correspondendo a 632,75 hectares de reflorestamento.

CANA
Sobre o problema de erosão nas áreas de cultivo de cana-de-açúcar, a companhia afirma que isso é responsabilidade dos proprietários das lavouras e das usinas, que devem ser fiscalizadas por órgãos competentes. A Cesp diz que isso não é sua atribuição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário