quinta-feira, 11 de agosto de 2011

As ciências do léxico

Por Roseli Ibernom

'A palavra é a janela pela qual se pode desvendar o conhecimento e vislumbrar o mundo', demonstram algumas teorias que embasam o estudo científico do léxico, aqui entendido como 'todo o conjunto de palavras de um idioma'.

Lexicologia, Lexicografia e Terminologia são as três ciências encarregadas de investigar fenômenos linguísticos relacionados ao léxico, ao vocabulário e aos dicionários. A primeira ciência, a Lexicologia, estuda como o universo lexical de um grupo sintetiza a sua maneira de ver a realidade e a forma como seus membros estruturam o mundo que os rodeia e designam as diferentes esferas do conhecimento; a segunda, Lexicografia, estabelece as técnicas de elaboração do dicionário, também conhecido como 'tesouro lexical' ou lugar onde são depositadas as palavras, segundo as exigências da gramática de uma língua; e a Terminologia trata do estudo do vocabulário técnico, ou seja, de especialidade, como é o caso do vocabulário jurídico, da medicina, da botânica, entre tantas outras áreas do saber de uma civilização.


Beneficiando-se dos refinamentos tecnológicos e dos recursos lexicoestatísticos atualmente disponíveis, hoje essas três ciências vêm contribuindo para que sejam abertas novas portas a pesquisas com base na norma lexical vigente, que se resume na média dos usos frequentes das palavras que são aceitas por uma comunidade de falantes. Utilizando o método quantitativo e tendo o computador como ferramenta para investigar essa frequência, é possível desvendar transformações socioeconômicas e políticas ocorridas, bem como crenças, valores e costumes de um determinado grupo de pessoas.

Em 2001, publicamos os principais resultados obtidos por meio de trabalho de dissertação de mestrado por nós desenvolvido com base nos métodos lexicoestatísticos. Nosso objeto de pesquisa consistiu em levantar e analisar o vocabulário registrado por 450 ingressantes universitários em redações de vestibular.

Os dados alcançados nesse trabalho revelaram interessantes aspectos acerca da competência lexical daquele grupo de estudantes, confirmando as declarações de Maria Tereza Camargo Bidermam, brilhante linguista e pioneira nos estudos lexicoestatísticos no Brasil, de que 'por enorme que seja o léxico de uma língua, é reduzido o repertório efetivamente utilizado pelos falantes, até mesmo na língua escrita, que é a variante da língua que se serve de um vocabulário mais rico e mais variado'.

Convém também registrar outras constatações muito ricas a respeito do pensamento, enfim, da identidade daquela população universitária, capazes de comprovar que o léxico é o nível da língua que mais deixa transparecer os valores, as crenças, os hábitos e costumes de uma comunidade.
O estudo das ciências do léxico é o estudo das riquezas da palavra, que esconde em si mesma o homem, seu mundo, sua história, sua alma. É urgente, pois, que busquemos esse conhecimento, afinal, como já nos ensinara Fernando Pessoa: 'quem não vê bem uma palavra não pode ver bem uma alma'.

Nenhum comentário:

Postar um comentário