quinta-feira, 7 de julho de 2011

O preconceito é uma jaula que prende o amor

"Um dia, a gente descobre que o mundo inteiro é inventado, e que o preconceito é uma jaula que prende o amor”… Liana Leal


A escola é um dos principais agentes responsáveis por manter e alimentar as discriminações por raça, gênero, etnia, renda, orientação sexual, diferenças físicas e deficiências, entre outras, não apenas nos conteúdos disciplinares, mas também nas interações e práticas cotidianas que ocorrem em seu interior e que estão presentes na sociedade.
É nesse contexto que a FACC- Frente de Assistência a Criança Carente, discutiu com escolas e segmentos da instituição como se configura discriminação em sala de aula e nas relações interpessoais, tendo como tema de discussão dessa semana (02 a 08 de maio/11): “Diferenças sim, desigualdade, não.”  Para tanto, realizamos algumas atividades.
Compartilhe uma das atividades e se, possível, use com sua turma quando precisar:

Sensibilização à temática
Através de rodas de bate- papo, nas acolhidas, falamos sobre a campanha e sensibilizamos sobre a temática, em seguida fizemos a mediação do livro infanto- juvenil: “Diversidade” da autora Tatiana Belinky, que possibilitou um melhor dialogo com as crianças. O livro ressalta, de forma lúdica e divertida,  a importância de se respeitar as diferenças e reconhecê-las como aspecto positivo no processo histórico e social.

Nenhum comentário:

Postar um comentário