terça-feira, 26 de julho de 2011

Estudantes da rede estadual vão retornar às aulas a partir de hoje

Por Sérgio Teixeira

As aulas das escolas estaduais de ensino recomeçam hoje para mais de 20 mil alunos da Diretoria de Ensino da Região de Araçatuba. Somente em Araçatuba, cerca de 14,5 mil estudantes voltam às aulas. Até este ano, as férias escolares de julho duravam 15 dias, porém, em 2012, serão 31 dias.

A mudança no calendário escolar foi confirmada este mês pelo Governo do Estado de São Paulo. Além da ampliação do período de férias, as aulas na rede terão início no primeiro dia útil de fevereiro. As mudanças estão previstas em resolução e irão valer para as 5,3 mil unidades de ensino geridas pelo Estado.


PLANEJAMENTO
Segundo a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, as novas diretrizes também visam facilitar aos pais o planejamento das férias dos alunos, visto que o período passará a ser determinado antecipadamente, o que não acontecia até este ano. Atualmente, cada escola é responsável por organizar seu calendário, que deve cumprir o mínimo de 200 dias letivos.

A partir de 2012, todas as unidades deverão encerrar as aulas regulares do primeiro semestre no último dia útil de junho. Segundo a pasta, as alterações atendem a reivindicações feitas por representantes dos profissionais da educação nos encontros regionais promovidos pelo secretário Herman Voorwald no primeiro semestre deste ano.

PROFESSORES
No entanto, a decisão de fracionar as férias dos professores, que irão ocorrer nos períodos de 1º a 15 de janeiro e de 1º a 15 de julho, já causa polêmica na categoria. A Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) lançou consulta para pedir a revogação imediata da resolução. "Todos os trabalhadores têm direito a férias integrais e o Estado está querendo tirar este direito dos professores", diz o sindicato, em comunicado.

O governo rebate dizendo que os docentes tinham 30 dias corridos de férias em janeiro e 10 dias de recesso em julho. "Na prática, descontados os dias de atribuição e planejamento em janeiro e julho, os professores terão no mínimo 53 dias de descanso, sendo 27 dias corridos, entre dezembro e janeiro, e outros 26 em julho", explica o chefe de gabinete da secretaria, Fernando Padula.

Nenhum comentário:

Postar um comentário