terça-feira, 5 de julho de 2011

Alunos de escola pública usam netbook

Por Sérgio Teixeira

Acordar cedo, tomar o café da manhã e verificar se o computador portátil está com a bateria carregada para um longo dia de atividades. A lista de tarefas, comum no cotidiano de executivos, se tornou realidade para 227 alunos da rede pública de ensino do município de Sud Mennucci, na região de Araçatuba. Além dos tradicionais cadernos e livros didáticos, cada estudante da 1ª até a 8ª série da Escola Municipal José Benigo Gomes, localizada no distrito de Bandeirantes D'Oeste, tem à sua disposição um netbook (computador portátil menor que um notebook).

A novidade começou em novembro do ano passado, sendo possível porque Sud Mennucci foi a única cidade da região selecionada para participar da fase piloto do Prouca (Programa Um Computador por Aluno), do MEC (Ministério da Educação). O município, que desde o ano de 2003 oferece internet gratuita para a população, teve seus investimentos na área de tecnologia reconhecidos no mês passado, quando ficou na 21ª colocação no Índice Brasil de Cidades Digitais.


O estudante da 8ª série Eduardo de Lima Barbosa, 14 anos, diz que o netbook está mudando a rotina escolar. "A aula ficou mais interessante porque a gente não fica só escrevendo e escrevendo", afirma. Ele não tinha computador em casa, mas se familiarizou rapidamente com a ferramenta. "Passei a ter acesso mais rápido a notícias do Brasil e do mundo."

Alana de Carvalho Alencar, 13, também da 8ª série, diz que o computador portátil é uma oportunidade a mais de conhecimento para os estudantes. "Até os alunos que não gostavam muito de estudar estão mais interativos nas aulas." A estudante faz parte do grupo de "alunos integrados" do programa, cuja função é oferecer apoio aos companheiros no uso da tecnologia.

PROGRAMA
A fase piloto do Prouca foi oficializada no ano passado, abrangendo cerca de 300 escolas públicas que foram escolhidas por órgãos como a Secretaria de Educação a Distância e a Presidência da República. A escola do distrito de Sud Mennucci é a única da região nesta lista, tendo feito a inscrição no programa ainda em 2007. A unidade de ensino não teve que arcar com os custos dos netbooks nesta etapa, pois foram pagos pelo governo federal. O MEC diz que "a experiência será acompanhada e avaliada para futura ampliação do programa."

Na região Sudeste, cada equipamento está orçado em R$ 344,18. Assim, a estimativa é que a União investiu pelo menos R$ 10,5 mil na escola José Benigo Gomes, considerando os 310 netbooks em uso e na reserva. No entanto, o custo tende a superar esta marca, pois o projeto também contemplou infraestrutura escolar para acesso à internet e capacitação de gestores e professores para a utilização da tecnologia.

INOVADORA
Sud Mennucci começou, no ano de 2003, a oferecer internet gratuita para a população, ação que rendeu visibilidade nacional. Em oito anos, o número de usuários do serviço saltou de dez para 1.778. Com 2.793 domicílios contabilizados pelo Censo 2010, estima-se que o programa de internet comunitária (banda larga) da Prefeitura atinja 63% dos imóveis. O porcentual pode sofrer variação, pois mais de um computador pode estar conectado na mesma residência.

Computador não vai eliminar os livros, acredita educadora
O acesso de computadores portáteis na rotina de estudantes levanta a questão se a tecnologia irá substituir ferramentas tradicionais de ensino, como livros, cadernos, giz e quadro-negro. Na avaliação de educadores da Escola Municipal José Benigo Gomes, esta possibilidade está descartada.
"Eu acho que o livro jamais será abandonado, pois nos enriquece muito", afirma Nislei Regina Prudencio, diretora da escola, destacando que a unidade de ensino está passando por um processo de inovação, mas sem a intenção de abandonar os recursos antigos. Para ela, o netbook "inova as práticas escolares", servindo como um complemento.

RESULTADOS
O auxílio digital já apresenta resultados positivos no rendimento dos estudantes. "Tarefa enviada para utilizar o netbook volta 100% realizada", afirma a coordenadora escolar Gislene Basso de Paula, lembrando que o mesmo comprometimento não ocorre quando o dever de casa é passado para ser feito em apostilas.
Gislene ressalta que a formação dos professores foi incentivada e ocorre continuamente para que o uso do computador em sala de aula não seja feito sem objetivos pedagógicos. A ferramenta digital é usada sempre que há possibilidade de complementar o conteúdo. Na última sexta-feira (1°), os alunos da 8ª série utilizaram o computador para pesquisar Literatura de Cordel.

CUIDADOS
O setor de tecnologia da Prefeitura ainda não rastreou uso indevido dos netbooks, como acessos a sites impróprios para menores de idade. A direção da escola credita este resultado ao trabalho permanente de conscientização. Os alunos confirmam esta tese: "Eu acesso apenas conteúdos de interesse e que são importantes para o meu estudo", garante a estudante Bianca Patrícia Quirino Ferreira, 15.
A falta de cuidado pode fazer com que o netbook apresente defeitos. Se o aluno quebrar o computador, ele irá pagar a conta? "Você sabe que não paramos para pensar nisso", confessa Nislei, justificando que o interesse pela ferramenta foi tanto que a escola ainda não registrou nenhum dano desta natureza por descuido ou negligência.

Região tem só uma cidade em ranking digital
Sud Mennucci é a única cidade da região de Araçatuba incluída no Índice Brasil de Cidades Digitais, trabalho realizado pela Momento Editorial em parceria com a fundação CPqD, com o objetivo de identificar as localidades brasileiras com maior acesso à tecnologia da informação. O município aparece na 21ª colocação.

A metodologia do estudo estabelece um sistema de pontuação para cada categoria de critério. São seis níveis, em ordem crescente de desenvolvimento digital: acesso básico, telecentro, serviços eletrônicos, pré-integrado, integrado e pleno. Sud Mennucci ocupa a categoria Telecentro, considerado baixo entre os seis da pesquisa. No entanto, está com pontuação superior do que a obtida por cidades maiores, como Bauru (SP), Palmas (TO), Aracaju (SE), Araraquara (SP) e Salvador (BA).

LIMITADO
Segundo a pesquisadora Graziela Bonadia, do CPqD, isso significa que em Sud Mennucci o acesso à internet é limitado, não havendo cobertura total (não apenas serviços públicos, mas também lan houses), mas há avanço na informatização da administração pública. Apesar de ter conseguido boa pontuação na cobertura pública de internet, o município perdeu pontos no acesso individual privado. "Mas Sud Mennucci teve uma boa pontuação, pois está acima da média dos outros 75 municípios."

As cidades mais avançadas em digitalização são Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS) e Vitória (ES).

Para avaliar em que estágio estão os municípios, o CPqD criou uma metodologia que leva em conta uma série de critérios, divididos em nove categorias, relacionados não só à infraestrutura tecnológica (presença de equipamentos primários, banda, cobertura geográfica, etc.), mas também à disponibilidade de serviços digitais e até de recursos de acessibilidade, por exemplo, para pessoas com deficiências físicas ou analfabetas.

Araçatuba tem série de desafios tecnológicos
Araçatuba tem pela frente uma série de desafios tecnológicos para serem sanados: oferta de serviços públicos digitais e sinal comunitário de internet são alguns.

Segundo a pesquisadora Graziela Bonadia, uma cidade digital com nível pleno de tecnologia ocorre quando a maior parte da população está conecta à banda larga, todos os serviços possíveis estão em ambiente virtual e o indivíduo interage amplamente no meio digital, como exemplos. Na pesquisa do CPqD com 75 municípios brasileiros, nenhum foi classificado nessa categoria.

Em nota enviada pela assessoria de imprensa, o Executivo de Araçatuba destaca que um de seus focos é modernizar a parte administrativa da Prefeitura, reestruturando a máquina pública para adequá-la com as reais necessidades da sociedade.

O agendamento de consulta realizado nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) é informatizado, mas ainda não pode ser feito pelo morador por um computador pessoal conectado à internet. A administração municipal garante que há intenção de implantar o serviço, sem prazo definido para que isso ocorra.

PROJETOS
O poder público não cita projetos de internet comunitária gratuita e nem iniciativas em estudo para levar computadores portáteis aos estudantes da rede municipal de ensino.

A Prefeitura ressalta que uma das ações já executadas na área de tecnologia foi a instalação de 20 quilômetros de fibra ótica, que interliga três secretarias (Educação, Saúde, Obras e Serviços Públicos) e o Daea (Departamento de Água e Esgoto de Araçatuba) ao Paço Municipal.

Outro aspecto lembrado pelo Executivo foi a melhoria e aumento da rede wireless (comunicação sem fio) que integra a sede da Saúde às UBSs, Hospital da Mulher e Núcleo de Gestão Assistencial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário