terça-feira, 28 de junho de 2011

Saúde se põe à mesa


 Por Emmanuela Zambon

Doces, salgadinhos e refrigerantes. É difícil resistir a tanta coisa gostosa; dá vontade de comer essas delícias todos os dias. Mas é importante destacar que eles não trazem benefícios para a saúde. Em vez de deixar as pessoas, principalmente as crianças, mais fortes e cheias de energia, as guloseimas podem engordar e causar outros problemas graves.

De acordo com a nutricionista Solange Pinheiro de Abreu, de Araçatuba, as crianças não podem comer tantos salgadinhos porque eles têm bastante gordura e sal. Os refrigerantes, balas e chicletes não possuem nutrientes, somente calorias. O pior de tudo é que se eles forem ingeridos em conjunto com outros doces em excesso acabam tirando o apetite. Sem vontade de comer, as refeições obrigatórias, como almoço e janta, não são feitas e, com isso, as crianças não consomem os alimentos importantes.

PROBLEMAS
Solange explica que uma má alimentação na infância acarreta problemas no desenvolvimento. Isso quer dizer que a criança tem grandes chances de se tornar um adulto com baixa estatura e dentes fracos. A criança também pode desenvolver problemas de memória e atenção. Sem contar que uma nutrição errada pode levar à obesidade.

Se a criança estiver acima do peso e ainda manter péssimos hábitos alimentares, assim como a sua família, ela provavelmente se tornará um adulto obeso. Para que isto não ocorra, é necessária uma transformação geral nos hábitos da família, no sentido nutricional e educacional. “O que se vê são crianças obesas cujos pais não sabem dizer ‘não’ aos filhos, fazendo-lhes todas as vontades, comprando todos os alimentos que pedem”, alerta a profissional. Uma criança obesa pode ter várias doenças, como diabetes, pressão alta, desgastes em joelhos e coluna, entre outras.

SAUDÁVEIS
Para a araçatubense Geovana Lima Rossi, 7 anos, não existe “tempo ruim” para saborear um bom prato de arroz, feijão, carne (sem gordura), alface e tomate. Melancia e banana, entre outros alimentos, também sempre fazem parte da rotina alimentar dela, assim como os sucos de frutas.

Segundo a mãe da menina, Julice Lima da Silva, 31 anos, de Araçatuba, ela conversa com a filha sobre os benefícios de ingerir comida saudável. “Falo para ela comer algo porque é bom para os olhos, para os cabelos, e assim por diante”, explica. “Os horários dela são regrados, e todos sentam à mesa. Ela faz as quatro refeições diárias certinhas. A Geovana tem muita concentração, boa coordenação motora e nunca fica doente”, complementa Julice.

Isabelle Eduarda Braguim Silva, 2 anos, de Birigui, prova que aprender a comer alimentos saudáveis não tem idade. Desde cedo ela troca bolachas recheadas e refrigerantes por legumes, verduras, frutas e sucos naturais. “A Isabelle sempre comeu essas coisas, ela adora. Quando era menor, já oferecia frutas”, explica a mãe, Lucimara Braguim da Silva, 44 anos, de Birigui. Hoje, ela ajuda a mãe a lavar as verduras e ainda adora montar a mesa para o jantar.

“A Isa adora kiwi, beterraba, quiabo, cebola, banana, pera, maçã, rúcula, mandioca, milho e outros alimentos. Ela não gosta muito de carne, a que ela mais come é peixe, quando está em casa”, relata Lucimara. Com relação aos doces, a menina quase não come. “Ela não é muito fã de chocolate”, finaliza a mãe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário