quinta-feira, 30 de junho de 2011

Projeto ambiental incentiva leitura de jornal em sala

Por Ariadne Bognar

É preciso mudar o pensamento e praticar essas mudanças. A frase - fruto de aprendizado recente - é de Hellen Marina Gomes, 13 anos, aluna da escola estadual Altina Moraes Sampaio, de Araçatuba. Ela e os colegas das duas turmas de 7ª série estão participando do concurso Ecofuturo “Ler é Preciso”, cujo tema, este ano, é “Cuidando da Vida”. O objetivo é aproximar os jovens dos livros e do prazer da escrita, construindo pontes entre o que passa na cabeça das pessoas - e corações de cada um - sobre temas que têm a ver com a conquista da qualidade de vida.

O Instituto Ecofuturo é uma organização não-governamental que trabalha em projetos que ligam educação e meio ambiente com a intenção de gerar e difundir conhecimento e práticas para a construção de uma cultura de sustentabilidade.


PASSO A PASSO
A ideia da escola de participar do concurso veio por meio do blog Ler para Crescer, que tem conteúdos para auxiliar educadores. Os professores do Altina levaram para as salas de aula os textos-base de leitura obrigatória fornecidos pelo Ler para Crescer e também diversas matérias extraídas da Folha da Região que tratam de assuntos relacionados ao meio ambiente e educação.

Os alunos fizeram leituras e discussões. A professora Dulcinéia Braz Mendes aprofundou os assuntos para reforçar e melhorar a compreensão dos estudantes. “É importante saber argumentar e buscar conhecimentos para promover a sustentabilidade de todos”, afirmou, para complementar: “O tema lançado pelo concurso significa que é preciso ter uma atitude que fala o bem tanto pra mim quanto para o próximo. São pequenas atitudes que transformam o mundo".

Para a aluna Natalia Cristina de Souza Morais, 13, não é preciso ir longe para termos atitudes que contribuem para a melhoria do ambiente em que vivemos e de toda a sociedade. Podemos fazer o bem para a pessoa que está do nosso lado. "Acho que é bom ler esses textos (do jornal), pois faz pensar mais na vida e como podemos cuidar dela e do próximo. Temos capacidade para tornar o mundo um lugar cada vez melhor”, acredita.

ATITUDE
Para a professora de português Ana Lúcia Lopes Viana, o mundo precisa de crianças, jovens e adultos preocupados em refletir, pensar e criticar suas próprias atitudes. "Toda palavra carrega uma ideia, um significado e saber o uso da palavra é conscientizar e atuar", ensina.
Para ela, cada aluno é dono da própria história, quando a palavra está na ponta da língua, na ponta da caneta, na ponta do teclado. Por isso, é preciso habilitar o ser humano e oferecer ferramentas que viabilizem a melhoria da sociedade.

Consciência
A aluna Hellen Marina Gomes conta que antes, não pensava muito no meio ambiente e nem tinha atitudes que poderiam melhorar a qualidade de vida.
"O projeto abriu o meus olhos. Eu era desligada. Fiz a leitura dos textos dos jornais durante as aulas e isso abriu a minha mente para o que é a vida, e que podemos fazer muita coisa para transformar o mundo. Me sinto muito bem sabendo que estou escrevendo para melhorar a vida de outras pessoas, aonde quer que elas estejam", afirma.

Outras escolas - públicas e particulares, de todos os níveis - que desejarem participar do 7o. Concurso “Ler é Preciso” podem se inscrever até 15 de julho, no site do Ecofuturo. Os autores dos melhores textos receberão prêmios em São Paulo e terão a obra publicada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário