quarta-feira, 15 de junho de 2011

Professora defende o uso pedagógico dos jornais

Por Neila Storti


A professora Eliane Nascimento Liberatore, da Emeb (Escola Municipal de Ensino Básico) Cláudio Evangelista Teixeira, de Araçatuba, finalizou, em 2010, seu curso de pedagogia pela Faculdade Educacional da Lapa, no Paraná. Como trabalho de conclusão de curso, a pedagoga publicou o artigo "Utilização do Jornal como Intervenção Pedagógica na Sala de Aula", juntamente com outras duas colegas de turma. O estudo é voltado para o ensino fundamental, do 1o. ao 5o. ano.

O TCC foi realizado em parceria com Sandra Rosseto Marques e Sílvia de Branco Guedes. O estudo pretende demonstrar aos educadores como ampliar a visão de mundo dos estudantes com o uso dos jornais nas salas de aula e tentar sanar, de forma prática, as dúvidas que surgem durante as explicações dos professores.

Segundo Eliane Liberatore, as pesquisas para o trabalho e os conhecimentos adquiridos durante o curso foram enriquecedores como bagagem curricular e aprendizado para as suas aulas. "Acredito que o jornal é uma ferramenta pedagógica riquíssima. Se ele for bem empregado na alfabetização, no letramento e no cotidiano dos alunos, tenho certeza de que pode trazer ótimos resultados para a educação e o crescimento das crianças", afirma.


IMPORTANTE
A ideia do trabalho surgiu de um pré-projeto sobre leitura. Assim que o grupo começou as pesquisas, as professoras se inscreveram em um estágio e começaram a utilizar o jornal como ferramenta de aprendizado. Para Eliane, o texto jornalístico é de fundamental importância, pois cumpre-se e compreende-se a função social do texto jornalístico e do próprio veículo de comunicação, mesmo “o jornal não podendo ser considerado totalmente imparcial”. "Ele estabelece-se politicamente num contexto social no qual se insere", explica.

Atualmente, ela trabalha com as crianças do berçário daquela escola municipal. A faixa etária dos seus alunos varia de 6 meses a 2 anos. No momento, a profissional está inserindo o jornal como objeto lúdico, fazendo a diferenciação de texturas, para observar, amassar, rasgar, recortar, colar, entre outros. O trabalho está sendo bem sucedido, acredita a pesquisadora.

O LÚDICO
Eliane afirma que os alunos assistem muito a TV e por conta da curiosidade intensa gerada pela faixa etária, as crianças fazem perguntas a respeito de tudo. "Temos que nos inteirar de diversas notícias. Estar sempre muito bem informados. O jornal nos ajuda com isso. Os alunos fazem perguntas a respeito de tudo. Temos que saber responder na linguagem deles o porquê dos acontecimentos e fatos que ele veem", comenta a professora.

Eliane afirma que existem muitos meios de se introduzir o jornal em sala de aula. Aguçar a curiosidade e o pensar crítico são alguns dos benefícios da utilização desse veículo de comunicação. "Na educação infantil, podemos trabalhar de maneira lúdica com eles, fazendo a observação e a inteiração das matérias. Já nas etapas I e II (pré-escola) podemos apresentar figuras dos fatos e textos, além de fazer o reconhecimento das letras e nomes," orienta a pedagoga.

CURSOS
Eliane Liberatore foi uma das dezenas de educadores que participaram dos cursos de formação continuada para professores oferecidos pelo Ler para Crescer durante o primeiro semestre de 2011. O programa prevê encontros entre profissionais para troca de experiências de atividades com jornais em sala de aula. As capacitações são ministradas pela coordenadora do programa, Ayne Regina Gonçalves Salviano, jornalista e professora com mestrado na área de comunicação e semiótica.

Há módulos voltados para educação infantil, ensino fundamental, médio e superior. Um novo calendário de cursos será divulgado para o segundo semestre. São 25 vagas por turma. As inscrições e capacitações são gratuitas. O Ler para Crescer é um projeto institucional da Folha da Região em parceria com as empresas Unimed, Tomoson, Localiza, Laboratório Carlos Chagas, Pekin Palace Hotel, J. Dionísio Veículos, Impérius Livraria e Papelaria, Cultura Inglesa e Klin.

LIVROS
A próxima etapa do Ler para Crescer é o lançamento de um livro com orientações de como os professores podem trabalhar, com eficiência, os veículos de comunicação, em especial o jornal impresso, durante as aulas. “Não basta levar os exemplares para a sala de aula e pedir aos alunos para lerem aleatoriamente. É como passar um filme e não fazer a roda de conversa depois, não funciona. Por isso estamos dividindo estes conhecimentos para que os educadores possam aproveitar melhor esta ferramenta”, afirmou Ayne Salviano, organizadora do material.

Segundo ela, esta primeira obra e as demais que formarão uma coleção, terão ensinamentos sobre comunicação, jornalismo e planos de aulas, como é feito nos cursos de formação continuada mais as experiências do grupo de professores que já passou pelas atividades e agora pode compartilhar experiências. O primeiro livro está em fase de elaboração. Deve ser lançado no segundo semestre em data a ser definida pela Folha da Região.

VISITAS
O programa de visitas monitoras à Folha da Região está recebendo inscrições das escolas interessadas, mas o agendamento é para o segundo semestre. Todos os dias, até o final de junho, já estão comprometidos.

Podem visitar a Folha, professores e alunos das escolas públicas e particulares, de Araçatuba e região. O passeio dura em média 1 hora entre os vários setores da empresa de comunicação. O objetivo é mostrar como nasce a notícia e os caminhos que ela percorre até chegar ao público.

Na oportunidade, os visitantes podem conversar com jornalistas, tirar dúvidas e fazer gravações na emissora de TV, Canal 21/Net Cidade.

Os interessados devem ligar para 3636-7775 e falar com Ariadne ou escrever para lerparacrescer@folhadaregiao.com.br. Os grupos devem ter no mínimo 10 e no máximo 30 pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário