segunda-feira, 16 de maio de 2011

Uso do computador ainda assusta professores

Do Jornal O Globo (RJ)

Em pleno século XXI, o mundo virtual ainda é um território que causa medo em muitos professores. Isso fi revelado em uma pesquisa realizada entre maio e junho de 2010, e divulgada nos últimos dias pela Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, em parceria com o Instituto Oi Futuro e Ibope. Foram entrevistados 5.505 docentes, dos quais mais da metade (53%) admitiu ter dificuldades em lidar com tecnologia na escola. Entre 1.532 diretores de colégios entrevistados, a porcentagem também foi de 53%. O levantamento ouviu 25.145 alunos: 40% disseram ter problemas para usar a informática nas unidades de ensino.

“Até há pouco tempo, havia uma relação de poder onde o professor era o detentor da informação. Era uma via de mão única. O que estamos notando agora é que os alunos estão um pouco à frente dos docentes, mais familiarizados com tecnologia. E os professores ainda não estão preparados para a aplicação pedagógica. Esse descompasso revela a necessidade de um processo de treinamento e acompanhamento dos profissionais”, comentou o vice-presidente do Instituto Oi Futuro, George Moraes.

Entre os professores, 35% disseram usar bastante a tecnologia em sua profissão, mas admitiram ter dificuldades em aproveitar seu potencial; 11% alegaram simplesmente não usar por falta de habilidade; outros 7% informaram não usar por outros motivos como falta de interesse ou acesso.
Já entre os alunos, só 18% disseram usar muito a tecnologia, mas com dificuldades. Apenas 3% assinalaram não usar a informática por falta de habilidade. A maioria, 19%, apontou problemas como falta de interesse ou acesso para não usufruir a tecnologia. Apesar de acusarem a falta de habilidade, os docentes querem aprender: 83% apontaram os cursos de informática como os mais importantes para o aperfeiçoamento da sua atuação profissional.

Com apoio do Oi Futuro e do Ministério da Educação (MEC), o município começou este ano a implementar em todas as turmas de segundo segmento do ensino fundamental (6º ao 9º ano) um sistema de aulas digitais: o Educopédia. O investimento total é de cerca de R$30 milhões, e o objetivo da Secretaria Municipal de Educação é chegar até o segundo semestre com o programa completo em 430 unidades.
Foram instalados nas salas de aula projetores em que os professores expõem o conteúdo do site. Elementos como vídeos e jogos auxiliam nos conteúdos das disciplinas. Os docentes têm material disponível para uma aula por semana.

A intenção da Secretaria de Educação é que cada aluno possa realizar as atividades do Educopédia em seu próprio netbook. Os equipamentos já começaram a chegar a algumas escolas. Por uma nova plataforma que está sendo desenvolvida, será possível até que cada aluno tenha um caderno virtual, onde poderá responder a provas objetivas, que poderão ser corrigidas automaticamente. Cada estudante já está recebendo uma senha de e-mail que será a sua assinatura no Educopédia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário