terça-feira, 24 de maio de 2011

Semana de combate ao bullying tem mostra de cartilhas

 Por Emmanuela Zambon


A Semana de Combate ao Bullying, que teve início ontem em Araçatuba, estende-se até o dia 31 com exposições de cartilhas produzidas por alunos de toda a rede de escolas municipais. Os trabalhos, que mobilizaram alunos de até 11 anos, ficarão expostos nas Emebs (Escolas Municipais de Ensino Básico) durante os períodos de aula e podem ser conferidos por pais e comunidade.

Com o objetivo de trabalhar a temática com alunos e professores, o projeto faz parte do Programa de Combate ao Bullying, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação a partir da lei municipal 7.285, que visa incentivar ações coletivas e gerar uma mobilização de todas as unidades escolares.


Segundo a secretária de Educação, Beatriz Soares Nogueira, desde o começo do ano os professores de aproximadamente 60 escolas do município trabalharam com o Bullying em sala de aula, baseando-se na cartilha do Conselho Nacional de Justiça, que lançou, no ano passado, um guia que envolve o tema. No final das atividades, as escolas tiveram como resultado a produção de mais de 800 "Cartilhas-Bullying".
"Cada classe confeccionou a sua cartilha da melhor forma, com a sua cara. Isso tem um efeito muito maior sobre as crianças, elas aprendem mais", explica Beatriz.

PROGRESSO
No ano passado, a Semana de Combate ao Bullying focou mais nos professores, com palestras e estudos. "Esse ano decidimos fazer a iniciativa com os alunos, por meio de um trabalho psicoeducativo. Em vez de remediar, a gente consegue minimizar a prática do bullying", explica a psicóloga Luciana Esgalha.

De acordo com a profissional, durante a rotina escolar já é possível notar uma postura mais positiva por parte dos alunos, ou seja, eles entendem melhor o que é Bullying, sabem os seus malefícios e até conversam sobre isso com os pais. "A melhora é contínua, ela não tem um pico", conta a psicóloga.

 Em paralelo com os projetos desenvolvidos no município, ela também ressalta que a mídia faz o papel de apoio nesse assunto. Como exemplo, ela cita o ataque à escola municipal Tasso da Silveira, em Realengo, Rio de Janeiro. "Os pais aproveitaram o momento para contar os casos dos filhos. Em muitos deles nem era bullying, era um evento esporádico", finaliza.

MESA-REDONDA
Em função da Semana de Combate ao Bullying, haverá uma mesa-redonda, hoje, às 20h, na Comunidade Evangélica de Araçatuba. O tema que será debatido por coordenadores, diretores e professores é "O Papel dos Educadores na Superação das Diferenças". A Comunidade fica na rua Marcondes Salgado, 433, no bairro Santana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário