sexta-feira, 6 de maio de 2011

Respeitar ou temer o professor?


Existe uma linha tênue entre temer e respeitar o professor, porém ser temido gera um desconforto por parte do aluno, podendo compromenter o aprendizado e o estímulo para assitir as aulas. Certamente ser respeitado é mas prazeroso que ser temido.
É sobre isso que trata o livro "Afetividade e Limites - uma parceria entre a família e a escola", de Edileide de Souza Castro. A especialista trata sobre a necessidade da escola trabalhar mais aspectos humanos, emocionais, não visando apenas aos conteúdos conceituais.
É preciso preparar o indivíduo para a vida, assim, o conteúdo a ser ensinado deixa de ser o centro do processo pedagógico, e a figura do professor e sua significação para o aluno passam a ser a chave do aprendizado.
Traz aos educadores na família e na escola uma oportunidade de rever sua prática relacional e aponta caminhos para a construção de uma educação marcada pelos limites e pela afetividade.
O objetivo da autora é possibilitar aos professores um novo olhar sobre si e sobre as crianças e os adolescentes. Serão desafiados a avaliarem seus relacionamentos e a decidirem marcar positivamente a vida de seus alunos.

Ou seja, ela fala da emoção, da necessidade em haver afetividade na educação.

Ana Lúcia Bomfim

Nenhum comentário:

Postar um comentário