terça-feira, 24 de maio de 2011

Ensino médio: maioria não sabe matemática

Por Sérgio Teixeira

Mais da metade dos alunos concluintes do ensino médio em Araçatuba não sabe o básico de matemática, enquanto um terço destes estudantes possui conhecimento insuficiente em língua portuguesa. O desempenho aparece nos resultados individuais do Saresp 2010 (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo), divulgado este mês pelo Governo do Estado.

Dos 1.328 estudantes do 3º ano do ensino médio que fizeram a prova no ano passado, distribuídos em 20 escolas estaduais de Araçatuba, 742 (55,9%) obtiveram desempenho abaixo do básico em matemática. Já a avaliação de língua portuguesa mostrou que 484 alunos (36,5%) não tinham as habilidades esperadas para a série em que se encontravam. O desempenho das escolas de Araçatuba foi semelhante ao do restante do Estado, onde a insuficiência na aprendizagem atingiu 57,7%, em matemática, e 37,9% em língua portuguesa.


A unidade com pior rendimento em matemática foi a Escola Estadual Ary Bocuhy, cujo porcentual de alunos com conhecimento insuficiente em matemática chegou a 75,9% no último ano do ensino médio. Em língua portuguesa, o pior índice ficou com a escola Silvestre Augusto do Nascimento, onde 57,9% dos estudantes demonstraram domínio abaixo do esperado nesta disciplina.

A escola Manoel Bento da Cruz, onde 61,1% dos alunos tiveram rendimento suficiente ou avançado em matemática, apresentou melhor desempenho nesta disciplina do que as demais. Na escola Nilce Maia, o destaque foi no ensino da língua portuguesa, com 17,6% dos estudantes com nível de aprendizagem abaixo do básico, o menor das escolas estaduais de Araçatuba.

Conforme o sociólogo Cesar Callegari, membro da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação e do movimento Todos pela Educação, o rendimento dos alunos em matemática reflete a escassez de professores da área de Exatas, decorrente da desvalorização do magistério. "Essa escassez decorre da desvalorização do magistério, pois ainda se paga salários baixos, e não raro nossos professores têm mais de 600 alunos", destaca.

Para o especialista em Educação, reverter o baixo aprendizado dos alunos é uma tarefa que está diretamente associada às formações inicial e continuada dos docentes. "Você precisa de professores preparados para transformar as aulas em momentos interessantes e produtivos." Tirar uma nota abaixo do básico - ou insuficiente - significa que o aluno não foi capaz de assimilar o mínimo do conteúdo esperado para aquela disciplina.

As direções das escolas Manoel Bento da Cruz e Ary Bocuhy disseram que só poderiam comentar seus desempenhos no Saresp com autorização da Secretaria de Estado da Educação, que não permitiu entrevistas. Nilce Maia e Silvestre Augusto foram procuradas, mas não atenderam aos contatos por telefone.

Nenhum comentário:

Postar um comentário