terça-feira, 17 de maio de 2011

Darcy Fontanelli incentiva sustentabilidade

Da Redação



Sérgio Teixeira, abordou o tema Lixo para os estudantes
A Emeb (Escola Municipal de Educação Básica) Darcy Fontanelli, no Jardim Palmeiras, em Araçatuba, inseriu práticas de sustentabilidade na rotina de seus alunos e na comunidade. A unidade de ensino desenvolveu nas últimas semanas o projeto Sacola Ecológica, que distribuiu 320 sacolas retornáveis para as mães dos estudantes. O trabalho pedagógico utilizou a série de reportagens Nossa Terra, publicada desde o dia 20 de março pela Folha da Região, como uma de suas ferramentas para atingir o objetivo.


Para estreitar os laços entre jornalistas, professores e estudantes, duas palestras ministradas pelo jornalista Sérgio Teixeira, autor das reportagens da Nossa Terra, foram realizadas no último dia 5 de maio. O destino do lixo foi o tema abordado no encontro, que teve a participação de mais de 300 estudantes, dos períodos da manhã e tarde.
A palestra começou enfatizando o papel do ser humano no planeta Terra, cuja população saltou de 1 bilhão, no ano de 1800, para mais de 7 bilhões, nos tempos atuais. Com o aumento de habitantes, cresce também o impacto ambiental causado pelos grandes centros urbanos. A geração e destinação adequada do lixo se mostram um desafio para todas as nações, inclusive o Brasil.


REALIDADE
Os alunos da Darcy Fontanelli, escola parceira no Programa Ler para Crescer, associaram o tema lixo a um problema bem próximo da sua realidade. Muitos estudantes moram na região da Lagoa das Flores, no Jardim América, e relataram como o descarte inadequado de detritos ajuda a agravar os problemas de transbordamento na lagoa, que ocorrem quase todos os anos.




Simulação total de água doce e salgada na Terra
 Durante a palestra, Teixeira respondeu perguntas sobre o uso de sacolas retornáveis nos supermercados, coleta seletiva e preservação dos rios. Para ilustrar a necessidade de preservar as águas do planeta, o jornalista propôs uma dinâmica aos estudantes para mostrar que, apesar da maior parte do planeta ser coberta por água, ela nem sempre está disponível para o consumo humano.


Segundo a coordenadora pedagógica Mary Martineli, a palestra ocorreu porque os estudantes, especialmente os das quartas séries, trabalham frequentemente com a série Nossa Terra em sala de aula. Ela também aponta que a mídia é importante para a comunidade ter entendimento sobre os assuntos ambientais. "As crianças prestaram bastante atenção na palestra, que foi bem didática e atingiu seu objetivo", disse.


PARCERIA

Além da adesão ao Ler para Crescer, a direção da escola Darcy Fontanelli, comandada pela diretora Lurdes Tabareli Pasqualoto, estabeleceu parceria com a série Nossa Terra. Ao longo das próximas semanas, os estudantes irão desenvolver uma intervenção ambiental na sala de aula, escola ou comunidade.

Escola fará intervenção ambiental com outras unidades
O tema e a aplicação serão estabelecidos pelos alunos, com orientação do corpo docente.


A proposta das reportagens da Nossa Terra, publicadas todos os domingos pela Folha, é abordar questões ambientais em destaque na comunidade e no mundo. Temas como sustentabilidade, educação ambiental, reciclagem, biodiversidade e ecologia serão abordadas até o Dia Mundial do Meio Ambiente, em 5 de junho, sempre fazendo uma "ponte" entre a visão de especialistas, ações governamentais e as implicações na vida da comunidade.


SACOLAS
As mães dos alunos da escola Darcy Fontanelli têm um bom motivo para evitar o uso de sacolas plásticas nos supermercados. Na última quinta-feira, 320 sacolas retornáveis foram entregues a elas pelos estudantes, durante a finalização do projeto Sacola Ecológica.


Mais de 300 alunos atentos às explicações
Quem já se conscientizou da importância da ação foi a aluna Eliana Regina de Souza, 9 anos, bem informada sobre o assunto. "Eu sei que mensalmente são distribuídas no Brasil 1 bilhão de sacolas plásticas, e isso equivale a 210 mil toneladas de plástico. Grande parte é distribuída de forma incorreta no meio ambiente, trazendo sérios problemas ambientais", explica.


Conforme a coordenadora pedagógica Mary Martineli, o projeto surgiu com foco na preservação do meio ambiente e para ser uma forma diferente de presentear as mães. "As professoras pesquisaram o tema junto com os alunos. A confecção das sacolas foi feita pelas crianças e profissionais da escola", explica.


A diretora Lurdes Tabareli Pasqualoto afirma que a ação foi bem recebida pela comunidade escolar, que pretende continuar abordando o meio ambiente em novos projetos.


Confira mais informações sobre o projeto na reportagem de Sérgio Teixeira:

Um comentário: