segunda-feira, 25 de abril de 2011

Cyberbullying aumenta humilhação à vítima

Por Monique Bueno

Os praticantes desse modo de perversidade se valem do anonimato
O cyberbullying é uma das formas mais agressivas de bullying, segundo o CNJ (Conselho Nacional de Justiça), que ganha cada vez mais espaços. Os ataques ocorrem por meio de ferramentas tecnológicas como celulares, filmadoras, máquinas fotográficas, internet e seus recursos (e-mails, sites de relacionamentos, vídeos), aumentando exponencialmente a humilhação aplicada à vítima. Os praticantes desse modo de perversidade se valem do anonimato.

Por conta da facilidade de opinar, os casos de difamação e bullying virtual se tornam cada vez mais frequentes. Hoje, no Brasil, existem pelo menos 11 delegacias especializadas em crimes virtuais, que registram dados crescentes de denúncias e reclamações, abrindo discussão para uma outra preocupação - o reflexo desses crimes virtuais nos ambientes reais.

Pesquisa realizada pela empresa de monitoramento MITI Inteligência, entre os dias 2 e 6 de abril deste ano, para avaliar como a internet se tornou palco de excessos e intolerância na comunicação, capturou mais de 38 mil interações contendo palavras de baixo calão relacionadas a empresas, marcas, personalidade e pessoas comuns, atribuindo, inclusive, nomes e referências.

"Pessoas comuns abrem seus perfis nos canais de relacionamentos, criam identidades virtuais e expõem opiniões e experiências de forma aberta e muitas vezes intempestiva. Os comentários na rede estão cada vez mais inflamados e os usuários não se intimidam ao se referir a empresas, personalidades e até pessoas de seu relacionamento, utilizando os mais diversos termos pejorativos", comentou Elizangela Grigoletti, gerente de inteligência e marketing da MITI Inteligência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário