quinta-feira, 10 de março de 2011

Morte de Rubens Paiva vira livro

No dia 21 de janeiro de 1971, o empresário e engenheiro civil Rubens Beyrodt Paiva, 41 anos, casado, pai de cinco filhos, ex-deputado federal pelo PTB de São Paulo, cassado pelo regime militar em 1964, foi levado de sua residência no Rio de Janeiro por agentes secretos do governo para "prestar depoimento".

Depois desse dia, Rubens Paiva nunca mais foi visto. Investigações realizadas por amigos e familiares apontam que ele foi brutalmente torturado nas dependências de um quartel militar, vindo a morrer menos de 24 horas depois do sequestro. Seu corpo nunca foi encontrado. Para tentar elucidar, 40 anos depois, o que está por trás desse caso, o jornalista e escritor Jason Tércio reconstituiu no livro "Segredo de Estado: o desaparecimento de Rubens Paiva", os fatos e as intrigas a respeito de um dos crimes mais brutais cometidos pelo regime militar.


TÉCNICAS
A obra associa técnicas de romance, reportagem e biografia, para contar no apenas a história de Rubens Paiva e de sua família, mas a de todo um período, tendo como palco privilegiado a Câmara dos Deputados e Brasília, a capital recém-inaugurada, cidade, segundo Tércio, que Rubens Paiva literalmente ajudou a construir, pois era engenheiro, e onde teve seus sonhos demolidos.

O livro narra a vida de Rubens Paiva como político, empresário e pai de família, sua decisão de entrar para a política em 1962, contrariando a vontade do pai, e sua rápida ascensão na vida parlamentar, apesar do pouco tempo de mandato (fevereiro de 1963 a abril de 1964). Rubens Paiva foi vice-presidente da CPI que investigou o repasse de recursos ilegais de empresas e da CIA para candidatos que faziam oposição ao governo de João Goulart.

O livro conta também o exílio do ex-deputado na Europa, sua decisão de voltar clandestinamente ao Brasil, e a retomada da vida empresarial no Rio de Janeiro, até o dia do seu desaparecimento.
A partir daí, a história se desenvolve em ritmo de romance político-policial, reconstituindo em detalhes o sequestro, as torturas e maus-tratos sofridos por Rubens Paiva, e as tentativas do governo militar de tentar forjar um fuga do ex-deputado, que nunca existiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário