sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Região tem boa escolaridade, mas é pobre, diz estudo

Pesquisa divulgada esta semana pela Assembleia Legislativa junto com a Fundação Seade traz uma boa e uma má notícia para a região administrativa de Araçatuba. A boa é que o IPRS (Índice Paulista de Responsabilidade Social) colocou a região entre as três primeiras no ranking paulista de escolaridade. Já a ruim é que o mesmo estudo mostra que a região é uma das quatro mais pobres do Estado, à frente somente de Marília, Presidente Prudente e Registro.

A região, assim como Rio Preto e Prudente, alcançou 75 pontos em uma escala de 100 no indicador escolaridade. No critério de desempate, ocupa a segunda posição. Quatro fatores foram avaliados: os jovens de 15 a 17 anos que concluíram o ensino fundamental (76%), os de 18 a 19 anos que terminaram o ensino médio (59%), além dos de 15 a 17 anos que conseguiram estudar em pelo menos quatro anos (97%) e também o porcentual de crianças de 5 a 6 anos que frequentam a pré-escola (90%). As fontes de dados utilizadas foram o Censo Demográfico e o Censo Escolar.


No primeiro ano de avaliação, em 2000, a região de Araçatuba ocupou a segunda melhor colocação e se manteve no topo entre os anos de 2002, 2004, e 2006.

Mesmo sendo boa de escola, em se tratando da riqueza dos municípios e da renda familiar de seus moradores, a região pode se considerar pobre. Com 43 cidades, se encontra em 12º lugar. A mais rica é a Baixada Santista. Para calcular o ranking foram calculados o consumo de energia elétrica na agricultura, no comércio, nos serviços (9,2 mw) e nas residências (2,0 mw); o valor adicionado per capita (R$ 12.553) e o rendimento médio dos empregados no setor privado com carteira assinada e no setor público (R$ 1.100).

As informações foram passadas pelas Secretarias de Estado dos Negócios da Fazenda e do Saneamento e Energia do Estado de São Paulo e também do Ministério do Trabalho e Emprego. Desde o início, Araçatuba nunca saiu desse patamar, ocupando sempre a 12ª posição. (Monique Bueno)

Nenhum comentário:

Postar um comentário