quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Inscrições abertas para 2013


Araçatuba

Ayne Salviano
Coordenadora do Ler para Crescer



Escolas da rede pública (municipal e estadual) e particular, do ensino básico ao superior; instituições, organizações, associações e entidades que desenvolvem atividades socioeducativas, segmentos específicos como educação de jovens e adultos, educação especial e ensino profissionalizante, e instituições de ressocialização interessadas em participar do Programa Jornal e Educação Ler para Crescer da Folha da Região no ano que vem precisam começar a se inscrever no programa a partir de hoje.
Ana Eliza Lemos Senche, diretora-geral da Folha da Região,
abre encontro de professores de 2012

O procedimento é simples. É preciso enviar um e-mail (lerparacrescer@folhadaregiao.com.br) para receber a ficha cadastral. Mesmo as unidades escolares inscritas em anos anteriores precisam se recadastrar. Em 2013, o Ler para Crescer atenderá apenas 50 escolas de Araçatuba e região. Em 2012, foram aproximadamente 70 escolas parceiras. Para o ano que vem, se houver mais interessados do que vagas, dois critérios vão determinar a escolha das escolas-parceiras: a ordem de inscrição e o histórico de trabalhos desenvolvidos com jornal e educação nos últimos dois anos (2010-2012).

Editorial: O desfecho do mensalão e a lição que fica


Ler e analisar os editoriais de jornais em sala de aula para alunos que estão aprendendo o raciocínio lógico dos textos dissertativos é, com certeza, um exercício interessante. 
O editorial traz temas atuais e nascem do pensamento coletivo do veículo de comunicação. Que tal propor isso em sua sala de aula?


A condenação da cúpula do mensalão por formação de quadrilha consolida um divisor de águas sem precedentes na história e no jeito de fazer política no Brasil. Após 82 dias, o Supremo Tribunal Federal decidiu que o ex-ministro José Dirceu, o ex-presidente do PT José Genoino, o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares e associados são culpados pela orquestração do mais sofisticado esquema de corrupção conhecido no País, capaz de abalar toda a República.
Ministro Joaquim Barbosa, relator

José Dirceu disse temer “que as premissas usadas no julgamento, criando uma nova jurisprudência na Suprema Corte, sirvam de norte para a condenação de outros réus inocentes país afora”. E acrescentou: “condenar sem provas não cabe em uma democracia soberana”. Fica assim um desafio para o PT: ignorar o episódio e poupar seus companheiros ou cumprir seu estatuto que prevê expulsar condenados em última instância por “crime infamante ou práticas administrativas ilícitas”.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Eventos literários na região


A matéria "Foco na Literatura", de Talita Rustichelli, publicada na capa do caderno Vida da Folha da Região de hoje (16/10) informa que entre os meses de outubro e novembro, a região de Araçatuba terá seu foco cultural na literatura. Os eventos Birigui Cidade Leitora e Flipen (Festival Literário de Penápolis) já tiveram início e uma feira do livro será realizada em Araçatuba de 1º a 4 de novembro. As atrações são diversificadas e vão desde oficinas, workshops e palestras até apresentações de diferentes linguagens artísticas, voltadas a um público variado.
Em Birigui, as ações são direcionadas principalmente às escolas municipais e aos CEI (Centros de Educação Infantil). Até 20 de outubro haverá palestras, videoconferências com escritores, visita de escritores, lançamento de livros, trocas de livros e gibis, sarau, contação de histórias, biblioteca itinerante, oficinas, apresentações de música e teatro, entre outras atividades.
Já a Flipen, de Penápolis, terá atrações na Praça 9 de Julho, na Biblioteca Municipal, no Museu do Folclore, locais próximos e no centro da cidade, e são abertas ao público. Haverá estandes de livrarias, contação de histórias, oficinas e exposição de pinturas de artistas do município. A programação inclui ainda lançamento de livros, bate-papo com escritores, espetáculos de música e teatro, oficinas de origami e reciclagem, exposição, livrônibus, bebeteca (biblioteca para bebês), entre outras.
Em Araçatuba, a feira do livro ainda não tem programação estabelecida. O local será a Praça Olímpica com utilização da Biblioteca Municipal para algumas atividades. Estão previstos 21 estandes, sendo 20 para diversas editoras e um destinado a autores da cidade, além de atrações culturais e oficinas.
Leia matéria completa na Folha da Região - 16/10/2012.

Cotas: Definição da raça será pelo critério da autodeclaração


Matéria publicada hoje ((16/10/2012) no caderno Cidades (página B7) da Folha da Região mostra que o critério de autodeclaração será o único a ser levado em conta na definição da raça dos alunos da rede pública que tentarem ingresso no ensino superior por meio da nova lei de cotas.
Sancionada há dois meses, a lei reserva 50% das vagas nas 59 universidades federais do País para estudantes que cursaram todo o ensino médio na rede pública de ensino. Metade dessas vagas considera apenas critérios raciais e a outra metade analisa ainda a renda familiar do candidato.
O ministro Aloizio Mercadante (Educação) reforçou ontem que a autodeclaração não passará por checagem das instituições federais afetadas pela lei de cotas. O MEC garante que a distribuição das cotas entre os alunos da rede pública considera o total das três raças (pretos, pardos e indígenas).
Matéria completa na Folha da Região - 16/10/2012.

Fatec, 3ª idade e jornal


Por Ayne Salviano


As pessoas reconhecem na Fatec (Faculdade de Tecnologia) do Centro Paula Souza em Araçatuba uma referência em cursos superiores nas áreas de análise e desenvolvimento de sistemas e biocombustíveis. Mas o que pouca gente sabe é que a equipe escolar, preocupada em desempenhar seu papel social, também mantém cursos para a comunidade, como um de inclusão social para a 3ª idade.

ERA DIGITAL
Este curso existe desde 2010. Formou seis turmas. Atualmente tem 36 alunos com idade igual ou superior a 60 anos que assistem às aulas uma vez por semana. O objetivo é não ficar fora do mundo digital e com os conhecimentos de hardware, sistemas operacionais, ferramentas básicas do Windows e internet se aproximar mais da família, voltar ao mercado de trabalho ou, simplesmente, se divertir.
Prof. Carlos Eduardo, da Fatec.
Foto: Alexandre Souza 

JORNAL
Agora em outubro, todos entram em uma nova fase. Vão aprender a ler notícias pela internet. Acompanhar a atualização rápida das informações e vivenciar a possibilidade de participar do processo de construir um veículo de comunicação por meio, por exemplo, de e-mails trocados com as redações e jornalistas. A ideia foi do professor Carlos Eduardo Galhardo e será apoiada pelo Programa Jornal e Educação Ler para Crescer da Folha da Região. A turma da 3ª idade da Fatec é, também, nossa primeira turma de leitores digitais. Estamos muito felizes com a oportunidade!

Ayne Regina Gonçalves Salviano é jornalista e professora. Mestre em Comunicação e Semiótica. Especialista em Metodologia Didática. Professora no ensino médio, graduação e pós na rede particular de Araçatuba. Coordenadora do Programa Jornal e Educação Ler para Crescer da Folha da Região.

Raízes inova com notícias em papel e pela internet



Por Ayne Salviano

Os objetivos estavam bem definidos. Os alunos do 5º ano do Colégio Geração Raízes, situado no bairro Nova Iorque, em Araçatuba, precisavam perceber a importância do registro escrito. No planejamento da professora de língua portuguesa Daniela Giacomini Gimael de Albuquerque, era necessário discutir a respeito dos vários acontecimentos e a maneira como divulgá-los.
Para exemplificar estas ideias, ela estudou com os alunos - com idades entre 10 e 11 anos - a primeira carta enviada por Pero Vaz de Caminha ao rei de Portugal dando notícias do Brasil à época do descobrimento.
Conteúdo lançado, a professora Daniela associou este conhecimento à Semana Cultural “As contribuições das diversas áreas do conhecimento no desenvolvimento da Ciência e Tecnologia Moderna”, desenvolvida na semana passada. Para coletar as informações sobre as atividades do evento e produzir notícias, os aproximadamente 20 alunos foram divididos em pequenos grupos/editorias.
Alunos do 5º ano do Raízes responsáveis pela cobertura jornalística
da Semana Cultural e elaboração do jornal mural. Fotos: Paulo Gonçalves

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Nível socioeconômico influencia nota de escola no Enem



Ranking de escolas do Enem serve mais às elites do que ao governo ou sociedade
“O ranking atual serve mais para as elites do que para o governo e a sociedade, pois as escolas melhor colocadas são aquelas cujos alunos tiveram as melhores notas. Mas se a escola recebe no ensino médio um aluno bom cuja nota da prova também foi boa, significa que ela manteve a qualidade do aluno ao longo do período. Entretanto, quando a escola recebe um aluno péssimo, mas que na prova do Enem consegue um resultado mediano, significa que ela conseguiu melhorar o aluno ao longo dos anos, fato que atualmente não é considerado no ranking”, diz o pesquisador, que leciona Biologia para o ensino médio.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Você é um educador?


Por Carlos Eduardo carloseduardo@opovo.com.br 
Pesquisando alguns assuntos para a realização de trabalhos na sala de aula, encontrei um texto de autor desconhecido que chamou muito minha atenção. O título, “Procura – se um mestre”, parece ser a síntese do texto encontrado no manual de redação do professor Vicente Júnior e fala de um anúncio feito por uma instituição de ensino superior, que está à procura de um professor bem especial. Inspirado pelo texto, resolvi fazer uma paráfrase em homenagem aos nossos professores e lançar a mesma proposta aos profissionais da educação, torcendo para que vários mestres entrem em contato. Quem quiser concorrer à vaga, basta ter as seguintes características: disposição, competência, sabedoria, dignidade, magnitude, humildade e altruísmo, para o desenvolvimento de atividades ligadas às relações humanas.

Sugestão de como incrementar a aula sobre entrevista


Alunos entrevistam ex-combatente


Credito:  Divulgação Credito: Divulgação
A entrevista com Alfredo Klas aconteceu na biblioteca do Colégio Eurico, momento que ficou na memória dos jovens que o entrevistaram
Nascido em 30 de setembro de 1915, ele enfrentou a guerra, problemas civis e militares. Tornou-se advogado, professor e escritor. Foi músico e político. O ex-combatente da Força Expedicionária Brasileira (FEB), Alfredo Bertoldo Klas, acumula 22 condecorações recebidas, 97 anos de idade, uma esposa, três filhos, nove netos, treze bisnetos e quatro trinetos. Ele compartilha, nesta entrevista, experiências de sua trajetória e dá para a juventude com a sabedoria de quem faz parte da história de seu país.

Colégio Eurico: O senhor entrou no exército muito jovem. Como aconteceu?
Alfredo Bertoldo Klas: Antigamente, quando o rapaz completava 18 anos ele tinha que ir para o quartel ou tirava o certificado em um curso de tiro ao alvo para guerra. Eu fiz o curso e depois entrei para o Centro de Preparação de Oficiais da Reserva no Exército Nacional, de onde saí como aspirante. Depois de noventa dias fui promovido ao posto de 2º tenente. Em 1943, fui promovido a 1º tenente. Em 1946, me tornei capitão, mas eu deixei os serviços militares no mesmo ano.

CE: Você sabia como era a guerra?
Klas: Eu sabia como era a guerra, mas estar lá e presenciar a guerra é muito diferente. O navio que nos levou para a Itália tinha 208 metros de comprimento e levava 5.300 soldados. Era um pequeno inferno. A guerra é uma escola para as pessoas que querem aprender a importância da vida. Lá, eu vi cidades sendo destruídas, pessoas sem casa, com fome e sentindo humilhação. Isso é a guerra.

Os valores afetivos nas páginas dos jornais

Sugestão de atividade para professores:

O professor de História da Escola Estadual Elzira de Sá, em Ponta Grossa (PR), Lucas Chibinski, utilizou o Jornal da Manhã para trabalhar os valores afetivos na turma do Sétimo Ano. “Foram formadas equipes, sendo que cada grupo pesquisou, em algumas edições, notícias que apresentassem qualquer ligação com valores afetivos, principalmente os ligados ao cotidiano”, explica o professor. 

O resultado foi exposto em cartazes na sala de aula. “Procurei demonstrar aos alunos a necessidade de se trabalhar de maneira integrada (disciplinas e professores) essa questão, ressaltando a importância da leitura critica do que é veiculado na mídia”, coloca Chibinski.

Fonte: Jornal da Manhã - 11/10/2012

Bando a leitura: uma historia especial


Esta história é maravilhosa. Que sirva de inspiração para educadores de Araçatuba e região.

Bando da Leitura: uma história a ser contada


Foto: Gisele Manjurma

Todas as quartas-feiras as crianças de Oficinas tem a oportunidade de ler, brincar e se divertir no Bando da Leitura

Iniciativa da professora aposentada Lucélia estimula a leitura e a criatividade de crianças do bairro Oficinas
Muito longe dos contos de fadas e de toda a ficção literária, a história que começou a ser escrita no bairro de Oficinas, em Ponta Grossa, desde 2007 é real. Trata-se de uma relação de afinidade entre crianças, livros e uma professora aposentada. De um espaço improvisado na garagem da pedagoga, Lucélia Clarindo, a um Ponto de Leitura reconhecido pelo Ministério da Cultura, com sala de leitura específica para os encontros, além de empréstimos de livros e acesso a internet.
O Bando da Leitura é resultado de ação voluntária de estímulo a leitura desenvolvida por Lucélia no quintal da sua casa. Aonde cerca de vinte crianças participam de rodas de leitura (algumas são temáticas) e oficinas de arte em geral. “Ler para o colega e ser ouvido por ele, esse é nosso objetivo principal”, destaca Lucélia. A reunião ocorre semanalmente, todas as quartas-feiras, das 14h às 16h, com sorteio de brindes e lanche para os participantes.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Momentos especiais: Fatec e Centro de Ressocialização


Duas parcerias fechadas recentemente pelo Programa Jornal e Educação Ler para Crescer da Folha da Região deram um brilho especial à causa de incentivar a leitura crítica dos veículos de comunicação - especialmente os jornais impressos. Trata-se do convênio com a Fatec - Faculdade de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas do Centro Paula Souza e o Centro de Ressocialização, ambos em Araçatuba.


CASO ANTIGO
O acordo entre a Folha da Região e o Centro de Ressocialização na verdade foi retomado depois de dois anos suspenso. De acordo com a educadora Osmarina Renzi, houve a interrupção devido a mudanças na própria estrutura da instituição. “Sempre trabalhamos em parceria com a professora Lúcia”, conta. A professora Lúcia Piantino foi responsável pelo Programa Folha da Região na Sala de Aula de 1994 a 2010.

JANELA
De acordo com Osmarina, o trabalho com os jornais dentro das salas de aula com os ressocializandos será feito de forma multidisciplinar porque os próprios alunos pediram. “Para eles, o jornal é a janela para o mundo, onde eles ficam sabendo o que acontece na sociedade”.

PÚBLICO ESPECIAL
O Centro de Ressocialização atende aproximadamente 90 alunos do ensino fundamental e médio em cursos supletivos com classes multisseriais. Retomo comentando o convênio com a Fatec na próxima edição.
Professora Osmarina Renzi (esquerda) e Ayne Salviano, em foto de Valdivo Pereira


Ayne Regina Gonçalves Salviano é jornalista e professora. Mestre em Comunicação e Semiótica. Especialista em Metodologia Didática. Professora no ensino médio, graduação e pós na rede particular de Araçatuba. Coordenadora do Programa Jornal e Educação Ler para Crescer da Folha da Região.